Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

domingo, 6 de agosto de 2017

ELVIS PRESLEY, O CAWBOY DE MEMPHIS

Por Altamir Pinheiro

MELVIS... É onde mora há mais de dez anos, Alessandra Ferreira, uma professorinha brasileira que leciona história / geografia / inglês / português e nos manda notícias de lá. POIS BEM!!! Oficialmente a cidade é conhecida como Memphis, mas para os mais íntimos, é MELVIS. Os fãs de Elvis Presley sabem muito bem do que se trata ou o que está se falando. Memphis é uma parada obrigatória para saudar o cantor e ‘’ator’’ que ainda “VIVE” personificado por pessoas do mundo inteiro. Para quem gosta de estatística, MEMPHIS ou MELVIS é uma cidade relativamente jovem e está localizada a beira do rio Mississipi. Com uma população de aproximadamente 650 mil habitantes, é uma das principais cidades da região centro-sul e a maior do Estado do Tennessee à frente da capital Nashville, em que pese Memphis ser a capital do Blues. Como curiosidade, Martin Luther King, foi pastor protestante, ativista de direitos civis dos negros e ganhador do Premio Nobel da Paz em 1964. Em 1968, ele foi assassinado em Memphis.

No tocante a carreira musical, o estilo de Elvis era contagiante e fazia admiradores em todas as faixas etárias e classes sociais, embora fosse condenado pelos conservadores, que o considerava um atentado aos bons costumes. Elvis dançava e requebrava com sua guitarra, num estilo empolgante e revolucionário para a época. 

Além da música, Elvis também atuou no cinema fazendo grande sucesso. Seus filmes eram recheados com canções de sucesso e levavam milhões de pessoas as bilheterias de cinemas do mundo todo. Seu primeiro filme foi “Love me Tender” de 1956.   Os anos 70 não foram tão bons para o ídolo do rock, embora o sucesso continuasse a todo vapor. Enfrentou problemas pessoais, passou a aparecer poucas vezes em público, permanecendo grande parte do tempo em sua mansão.  Elvis Presley morreu em 16 de agosto de 1977(com apenas 42 anos de idade), em sua mansão no Memphis (Tennesse) de ataque cardíaco fulminante. Atribuem-se seus problemas de saúde, inclusive sua morte, ao uso exagerado de barbitúricos. Sua carreira musical durou 23 anos.  No próximo dia 16 completará 40 anos de sua morte.

No tocante à carreira de ‘’estrela do cinema’’ é preciso que se diga o seguinteo escritor Clair Huffaker é autor de excelentes roteiros como “Os Comancheiros”, “Rio Conchos” e o imperdível filme “Gigantes em Luta”, faroestes que recomendam plenamente o autor. O paulistano e pesquisador de filmes faroestes Darci Fonseca nos confirma que o primeiro roteiro que o bom escritor Huffaker fez para o CINEMA foi sobre a história “Estrela de Fogo” (Flaming Star), em 1960, dirigido por DON SIEGEL. Diretor este, que dispensa comentários. O projeto inicial era ambicioso e deveria ter Marlon Brando e Frank Sinatra como os principais protagonistas nesta película cinematográfica. Nem Frank nem Brando puderam fazer o filme e o empresário de Elvis Presley, estava atrás de um filme mais sério que mudasse um pouco a imagem do cantor. Elvis pretendia ter como ator omesmo respeito que possuía como cantor e “ESTRELA DE FOGO” parecia ter sido feito sob medida para iniciar a nova fase do Rei do Rock’n’Roll no cinema.

DON SIEGEL(faleceu vítima de câncer, em 1991 aos 79 anos) foi um dos mais respeitados entre os diretores do SEGUNDO ESCALÃO de Hollywood. Com orçamentos modestos fez inúmeros filmes excelentes. A partir de “Estrela de Fogo” a cotação de SIEGEL subiu sem parar e nos anos 60 e 70 ele passou a dirigir grandes produções com astros como Clint Eastwood (cinco vezes), Lee Marvin, Henry Fonda, Charles Bronson, Walter Matthau e foi diretor do último filme de John Wayne. A competência de Don Siegel é comprovada com o bom “Estrela de Fogo”, em que mescla cenas de grande dramaticidade com perfeitas sequências de ação. E o maior mérito de Don Siegel é ter conseguido extrair de Elvis uma atuação que pode ser chamada de aceitável. Muitos consideram esta a melhor interpretação de Elvis como ator, o que não quer dizer praticamente nada diante da mediocridade que foi sua carreira no cinema. Agora, ESTRELA DE FOGO(1960)  é considerado o melhor filme de Elvis junto com o também faroeste LOVE ME TENDER(1956). Porém, seu maior momento cinematográfico foi o razoável filme FLAMING STAR  (Estrela de Fogo).

O rei do rock atuou em três filmes de bang bangLove Me Tender(ama-me com ternura - 1956), sendo que  foi o seu primeiro trabalho em Hollywood, de uma média sequência de filmes que iria estrelar até 1969. Neste filme ele estava com apenas 22 anos; Flaming Star  (Estrela de Fogo – 1960), Com a idade de 25, sendo esse o seu melhor filme de cawboy. Estrelou o faroeste  CHARRO em 1969, aos 34 anos de idade. A paciência do seu empresário Parker durou apenas mais um filme (“Coração Rebelde”, de 1961) após o que ele obrigou Elvis a voltar para as comédias insonsas. Em 1969 um Elvis Presley fortemente influenciado pelos anti-heróis dos spaghetti-westerns atuou em “CHARRO”, em tudo inferior a seu maior momento cinematográfico que foi “Estrela de Fogo”.

Por fim, às 2 horas da tarde do azarado mês de agosto de 1977(há 40 anos), no banheiro da mansão GRACELAND, no Tennessee, o coração de Elvis parou de bater. O cantor/‘‘ator’’ foi encontrado por sua noiva - na época, Ginger Alden, em frente ao vaso sanitário, de barriga para baixo e calças arriadas. A causa oficial foi arritmia cardíaca, uma condição que só pode ser identificada em pessoas vivas. Por outro lado, a família Presley possuía um histórico de doenças coronárias. Em sua autopsia, foram encontrados 15 medicamentos diferentes em seu corpo, dos quais 10, em quantidades perigosas (dez vezes a quantidade terapêutica do anestésico codeína, à base de morfina). Quando os paramédicos chegaram, o corpo já estava ficando azul e frio. No caminho para o Baptist Memorial Hospital, tentou-se sem sucesso uma reanimação, afinal "ERA O ELVIS". Ele foi declarado morto às 15:16, sem qualquer investigação na mansão, fotos do banheiro ou consideração pelo fato de que ele tomava remédios como se fossem garapa...

assista ao vídeo  de 3 minutos do melhor filme do rei do rock, dentre os 16 em que ele foi protagonista. Trata-se de  ESTRELA DE FOGO que  é uma fita senão magistral, mas bastante razoável. Bem dirigida, bem interpretada e bem argumentada por seu roteirista. E a direção magistral de Don Siegel é também um filme muito bem fotografado e repleto de tudo que o mais exigente espectador deseja ver em um filme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário