Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

COMERCIANTES NÃO ESTÃO NEM AÍ PARA O NATAL

Quando o prefeito Izaías Régis lançou a proposta da Festa de Natal em Garanhuns, referente a 2017, estavam no Centro Cultural dois deputados estaduais, vereadores, secretários, representantes da imprensa e de alguns setores da economia do município.

Chamou a atenção a ausência quase que de 100% dos comerciantes, que são, na prática, os que mais ganham com uma boa programação festiva de final de ano.

Parece que muitos empresários locais esperam tudo do poder público, criticam quando há alguma falha, mas na hora de qualquer tipo de colaboração ou apoio são de uma omissão gritante.

Como os garanhuenses sabem, a festa natalina de Garanhuns é bancada inteiramente pela prefeitura e grandes lojas da Avenida Santo Antônio não decoram sua faixada, algumas não colocam uma única lâmpada para tornar a cidade mais bonita e tem até comerciante que não liga nem mesmo a placa do estabelecimento,  para não gastar energia.

Outro setor que não colabora é o dos bancos: agências de instituições financeiras fortes, como Caixa Econômica, Banco do Brasil, Bradesco e Itaú costumam não receber nenhuma decoração especial no final do ano. Fica até estranho, no período de Natal, a cidade com as praças iluminadas, uma bonita decoração, e alguns estabelecimentos importantes às escuras, como se nem fizessem parte da paisagem urbana.

Parecem quase todos querer rezar o Pai Nosso assim: “Venha a nós o Vosso Reino e seja feita a vossa vontade, nada”.

FIM DAS ILUSÕES COM A GUINADA DO PT À DIREITA

Por Antonio Lima Júnior, jornalista e militante do PCB em Fortaleza

Enquanto o ex-presidente Lula realiza sua caravana pelo nordeste brasileiro, já preparando a campanha política para as eleições de 2018, o presidente estadual do PT no Rio de Janeiro, Washington Siqueira (Quaquá), lançou nota nas redes sociais com o título “Por um partido lulista, burguês e reformista!” [1].
Após uma análise de conjuntura com vários equívocos e justificando uma possível e futura aliança com Renan Calheiros, Kátia Abreu e “de tudo que é ‘P’”, ao final o texto reivindica que o país “precisa de um novo partido burguês, com programa reformista mínimo, pactuando com as lideranças políticas regionais. Um partido que banque a proposta de uma nova constituinte e que avance na construção do estado burguês de bem estar social”. Para o dirigente petista, o socialismo “é uma aposta futura e de transição. Nesse período, a transição ainda é burguesa e o será por muitos anos. Por isso, é centro da estratégia política montar um partido lulista, burguês e reformista”.
Sobre as questões levantadas acerca da necessidade de manter um programa reformista mínimo e acerca do distanciamento do socialismo, é importante colocar alguns elementos que fogem à análise do ávido dirigente petista.
As reformas no capitalismo avançado
Diante da consolidação da burguesia brasileira, hoje combinada com os interesses do capital internacional, apesar de alguns setores da esquerda reformista acreditarem numa possível aliança com uma burguesia progressista e nacionalista, durante os doze anos de governo de colaboração de classes do PT (2003-2015) vimos poucos avanços na questão das reformas básicas.
Um grande exemplo é o dos meios de comunicação: enquanto alguns países vizinhos, como Argentina e Uruguai, conseguiram, da virada de século pra cá, avançar em políticas básicas de democratização dos meios de comunicação e de evitar o monopólio das concessões, no Brasil vimos que não houve nenhuma proposta de ataque aos interesses monopolistas das poucas famílias que controlam os canais de rádio, TV, veículos impressos e internet do país. Apesar de realizar a única edição da Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) em 2009, pouco dos acúmulos construídos na mesma foram encaminhados. Além disso, durante os governos petistas, o Ministério da Comunicação sempre foi ocupado por nomes ligados aos interesses dos grupos empresariais, a exemplo do senador (outrora aliado, hoje golpista) Eunício Oliveira (PMDB-CE).
Já na reforma agrária, um dos pilares de sustentação dos movimentos sociais, em especial o MST, em apoiar os governos petistas, o governo Dilma saiu com o saldo de pior resultado na desapropriação de imóveis rurais nos últimos vinte anos [2]. Ao mesmo tempo, teve como fiel escudeira na defesa contra o impeachment a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), representante da bancada ruralista e “vencedora” do prêmio Motosserra de Ouro, dado pelo Greenpeace em 2010[3].
Mesmo com resultados insatisfatórios nas políticas das reformas de base, como continuar seguindo na proposta de manter o programa de reformas mínimas, se a aliança com coronéis da mídia e latifundiários, por exemplo, impede que avancem nas reformas agrárias e no enfrentamento ao monopólio dos meios de comunicação? Sem acreditar na alternativa socialista e sem investir na construção da unidade da classe trabalhadora para derrotar uma burguesia consolidada que não precisa mais dos setores reformistas para impor sua hegemonia, jamais conseguiremos sequer as reformas mínimas. Chegamos então no segundo ponto.
Uma longa marcha para o socialismo
Se, para o dirigente petista, “a transição ainda é burguesa e o será por muitos anos”, para nós, comunistas, a transição é necessariamente proletária e o tempo só pode ser medido conforme os passos que dermos à frente. Como diz o secretário-geral do PCB, Edmilson Costa, em artigo, o Brasil está maduro para o socialismo [4].
A partir da análise de Edmilson Costa, vemos que o Brasil passou por um processo de desenvolvimento econômico nos governos petistas, mas que repetiu a velha fórmula do bolo que cresce e não se divide ao povo, dando-lhe apenas as migalhas que, por estar em período de crescimento, aparentavam ser um grande pedaço. Imagine só se dessem de fato os pedaços que nos cabem de direito…
Portanto, é equivocada a visão de uma transição burguesa e longa. A burguesia já comandou por muito tempo, é hora de organizar os trabalhadores para a construção de um programa mínimo de lutas da classe operária, que exija a reversão de todos os ataques que a burguesia tem dado não só no governo Temer, mas nos governos petistas, que também têm sua grande parcela de culpa, seja por avançar nas reformas da previdência ou nas concessões das nossas riquezas para a iniciativa privada. O que o PT fazia a conta gotas, Temer faz de torneira aberta. Mas quem abriu o registro da água?
Conclui-se que a exposição de Quaquá é mais uma mostra de que o PT não tem interesse em avançar na organização da classe trabalhadora para derrubar as medidas que a burguesia tem criado para prejudicar os trabalhadores. Se a alternativa para o PT é ser um partido lulista, burguês e reformista, está claro que a saída é novamente a traição. Mas como diria Marx no Dezoito de Brumário, “os grandes fatos e todos os grandes personagens da história mundial são encenados, por assim dizer, duas vezes […] : a primeira vez como tragédia, a segunda como farsa”. E quando a farsa petista ruir de vez, já estaremos surdos de tanto ouvir, repetidas vezes, o canto da sereia.

APOIO: PCB (Partido Comunista Brasileiro) de Garanhuns/PE

ESCOLA DE APLICAÇÃO INICIA PROCESSO SELETIVO

A Escola de Aplicação Ivonita Alves Guerra, do campus da Universidade de Pernambuco (UPE), em Garanhuns, inscreve, até a próxima sexta-feira (29/09), para o Processo Seletivo 2018, para novos alunos do 6º ano (antiga 5ª série), e vagas complementares nas demais turmas da escola, conforme relação abaixo:

6º Ano= 70 vagas
7º Ano= 4 vagas
8º Ano= 1 vaga
9º Ano= 2 Vagas
1º Ano= 6 Vagas
2º Ano= 8 vagas

Os interessados devem realizar suas inscrições na secretaria da escola, no campus da UPE em Garanhuns, de segunda a sexta-feira, no turno da manhã (08:00h às 12:00h), mediante a apresentação dos documentos necessários e do pagamento da taxa no valor de R$ 80,00.

A Escola de Aplicação Ivonita Alves Guerra está entre as 5 melhores do país e é atualmente a escola da região com as melhores notas e taxas de aprovação em diversas avaliações como IDEB, SAEB,ENEM. Portanto, o Processo Seletivo é uma oportunidade imperdível para os jovens estudantes.

Documentos necessários para inscrição:

* duas fotos 3x4;
* xerox de certidão de nascimento ou RG do estudante;
* xerox do comprovante de residência;
* declaração da escola atual;
* pagamento da taxa de inscrição no valor de R$ 80,00.


**Outras informações pelo telefone: Telefone: (87) 3761 - 8243 / 8465 / 8466.

**Da Assessoria da UPE.

MORRE DONA BRANCA AOS 103 ANOS

Por Junior Almeida

Faleceu na noite de ontem (24) no Sítio Azevém em Paranatama, Maria Gracinda Basílio, de exatos 103 anos e 3 meses de vida. Dona Branca, como era conhecida, foi uma das tantas vítimas do cangaço no Nordeste, quando em 19 de julho de 1935 o bando do famigerado Lampião invadiu a sua casa no antigo distrito de Garanhuns, espancando-a em busca de dinheiro e ouro e dinheiro.

No último dia 10 um grupo de pesquisadores do Grupo Paraibano de Estudos do Cangaço – GPEC – estiveram na residência de Dona Branca onde ouviram a idosa. Os estudiosos se surpreenderam com a lucidez de Dona Branca, que discorreu sobre os momentos de terror vividos nas mãos dos sicários. Para se ter uma ideia do que a mulher passou, é só lembrar que suas duas cunhadas, que moravam próximas de sua casa, foram molestadas pelos bandidos.

Estivemos algumas vezes na residência da família em trabalhos de pesquisas e em uma das vezes foi na festa de aniversário de 102 anos da idosa, que rendeu um texto que postamos aqui, e hoje mais uma vez falamos novamente em Dona Branca, dessa vez com a triste notícia de sua partida.


O velório de Dona Branca está sendo realizado no Sítio Azevém, na mesma casa do ataque de Lampião em 1935 de seguirá para a cidade. O enterro será no cemitério de Paranatama às 16 horas.  

Nós que fazemos parte do blog, nos solidarizamos com toda Família Basílio neste momento de dor.

domingo, 24 de setembro de 2017

COISAS DE ROBERTO CARLOS QUE POUCA GENTE SABE

Roberto Carlos, 76 anos, é o cantor mais bem sucedido da história da música popular brasileira.

Soma 55 anos de carreira (sem contar que fez sua primeira apresentação pública aos 9 anos, quando cantou na rádio de sua cidade natal, Cachoeiro do Itapemirim), compôs – a maioria em parceria com Erasmo Carlos - mais de 600 canções e já vendeu entre 120 e 130 milhões de discos.

No Brasil e em diversos países do mundo o cantor é conhecido por pessoas de todas as idades. Na atualidade, mesmo sem nada a ver com o garoto rebelde dos anos 60, aquele que mandava “tudo pra o inferno”, ainda consegue, apesar da idade avançada, bater recordes de visualização no YouTube.

“Chegaste”, a canção que compôs o ano passado e gravou com Jennifer Lopes já foi ouvida via internet por mais de 10 milhões de pessoas.

Quem não conhece uma canção do Roberto?

A Distância (gravada também por Ney Matogrosso), Como é Grande o Meu Amor Por Você, Todos Estão Surdos , As Baleias, O Portão,  Esse Cara Sou Eu, Namoradinha de um Amigo meu, Emoções, Detalhes, Além do Horizonte, Lady Laura, Traumas, Por Amor, Seu eu Partir, Nossa Senhora, O Progresso, Proposta (gravada também por Zizi Possi), Cavalgada, Os Seus Botões, A Cigana, Rotina, Aquela Casa Simples, Jovens Tardes de Domingo (gravada também por Gal Costa), As Curvas da Estrada de Santos (regravada depois por Elis Regina), As Canções que Você fez pra Mim (regravada por Maria Betânia)...

Dava para encher páginas, citando só as conhecidas do Rei, que recebeu esse título nos anos 60, através de um dos maiores comunicadores da televisão brasileira, Abelardo Barbosa, mais conhecido como Chacrinha.

Mas também tem um Roberto Carlos menos conhecido, mesmo dos fãs.

Você sabia que o artista começou imitando João Gilberto, o papa da Bossa Nova, quando gravou um compacto com duas músicas, em 1959?

No primeiro LP, em 1961, Roberto ainda seguia os passos do baiano e gravou um disco, “Louco Por Você”, sem uma definição do estilo que iria lhe consagrar no futuro.

O álbum citado tem samba, bolero, twist, bossa nova e uma antecipação do que seria o iê-iê-iê.

RC não permite que o disco seja relançado (embora todo mundo possa ouvir inteirinho pelo YouTube), não se sabe bem o porquê.

Talvez porque nenhuma das 10 canções é de sua autoria, ou pela capa sem a sua foto ou quem sabe pelo verso ousado da música “Não é por Mim’:

“...e se provar que eu fiz você ficar tão triste
eu saberei que existe um céu, que Deus existe”.

Parece até uma heresia para o Roberto Carlos que se tornou um católico fervoroso ao longo da carreira, ou não?

Mas não são somente as canções de “Louco por Você” que são desconhecidas até pelos fãs do Rei.

Alguém sabe que RC, no disco de 1965, gravou uma música intitulada “Os Velhinhos”?

Olha só como é curiosa a letra da canção:

Quando a velhice chegar
Eu não sei se terei
Tanto amor pra te dar.
Hoje, vem amor, vem amar
Os meus lábios esperam
Te querendo beijar.
Amanhã estaremos velhinhos
Contaremos juntinhos
Os segredos do amor
Os segredos do amor
Para os nossos netinhos.

Não importa se é uma versão. O fato é que quem a gravou era um cantor em início de carreira, com pouco mais de 20 anos.

Nos shows de Roberto quase não há variação do repertório, ele inclui sempre as preferidas dele mesmo e do público.

Por isso muita gente não sabe que ele gravou Dolores Duran (Ternura Antiga), Ataulfo Alves (Amélia), Newton Teixeira e Jorge Faraj (A Deusa da Minha Rua e o trio Artur Ribeiro-Francisco Trindade-Maxiamiano de Souza (Nem As Paredes Confesso, mais conhecida na voz de Nélson Gonçalves).

Roberto também gravou o ótimo compositor paulista Renato Teixeira (Madrasta), bem antes de Elis Regina fazê-lo conhecido de todo o Brasil ao incluir a música “Romaria” num dos seus melhores álbuns dos anos 70.

Outro cantor e compositor que Roberto Carlos gravou, antes dele se tornar um dos grandes ídolos da música popular, foi o cearense Raimundo Fagner.

“Mucuripe”, de Fagner e Belchior, está no LP do Rei de 1974.

Roberto já fez dueto com quase todos os artistas do primeiro time da MPB: Caetano Veloso, Milton Nascimento, Marisa Monte, Lulu Santos, Alcione, Zeca Pagodinho, Paula Fernandes, Gal Costa, Maria Betânia, Marisa Monte, Zizi Possi, Tom Jobim, Ângela Maria, Fafá de Belém, Jota Quest, Almir Sater, Sérgio Reis, Orlando Silva (em 1976, dois anos antes da morte do “cantor das multidões), Jerry Adriany, Chitãozinho e Chororó, dentre muitos outros.

Dá para escrever um livro em cima do tema que estamos tratando. Por isso vamos parar.

Mas antes de terminar, mais uma: o leitor ou leitora sabe que Roberto Carlos (um alienado político), cantou em dueto com Chico Buarque (um artista altamente engajado politicamente) a música “O Que Será? ”, quando revelou sua admiração pelo artista e reconheceu estar ao lado de “um dos maiores compositores da história da MPB”.

E para quem quer conferir uma raridade aí vai o áudio de “Solo Per Te”, uma das melhores faixas do disco proibido de 1961:


*Na foto do Extra Online Roberto Carlos e a inesquecível Elis Regina, no final dos anos 60.

DESFILE CÍVICO ENCERRA FESTA DE 54 ANOS DE CAETÉS

Por Junior Almeida

Enquanto várias cidades de todo país cancelam suas tradicionais festas e anunciam cortes de despesas, inclusive com redução do quadro de servidores, Caetés mais uma vez foi no caminho contrário da crise e realizou festejos de deixar encantados moradores locais e turistas. Além da bonita festa na rua, o povo de Caetés pode comemorar a sua boa administração, pois além da casa estar em ordem, com as contas da prefeitura em dia, várias obras de cal e cimento, como a nova secretaria de educação no centro e o posto de saúde da Rua Manoel Izidório, foram entregues à população. 

O município governado por Armando Duarte, que hoje é um exemplo a ser seguido no interior do Estado, encerrou em grande estilo no dia de hoje (24) as festividades em comemoração aos seus 54 anos de emancipação política. A programação com trios elétricos e blocos, tipo carnaval fora de época, e as bandas no palco de eventos, além do gigantesco desfile, levou desde quinta feira milhares de pessoas à  "terra da energia eólica pernambucana" nesses quatro dias de festa.

O dia de hoje foi dedicado exclusivamente ao desfile cívico na Avenida Luiz Pereira Junior. Passaram pelo centro de Caetés mais de trinta escolas da rede municipal conduzidas pelas bandas locais, a banda e uma companhia do Exército Brasileiro, representado pelo 71 BI MTZ de Garanhuns, os Patrulheiros do Agreste, além de várias bandas convidadas das cidades da região.

Comerciantes locais comemoram o sucesso da festa, e se mostram agradecidos ao prefeito Armando Duarte. 

Em tempos de crise como estamos vivendo, é muito bom que a cidade atraia mais e mais pessoas para virem gastar aqui em Caetés. Estão de parabéns todos os que contribuíram com essa festa, principalmente o prefeito Armando que mostra a cada dia que cuida do seu povo. Declarou um comerciante.

Circulando pelas ruas de Caetés era fácil constatar que todos faturavam com a festa. De vendedores de água, refrigerantes, lanches, espetinhos, brinquedos e até frutas, ninguém ficou sem ganhar algum dinheiro, comerciantes locais e também de fora, Caetés fez todos lucrarem. Agora é esperar outras festas na cidade. Ano que vem, por exemplo, o desfile será no asfalto, que já foi iniciado e será entregue brevemente ao povo de Caetés.

A MAGIA DO NATAL DE GARANHUNS


Por Givaldo Calado de Freitas*

Um amigo, hoje, pela manhã, se saiu com essa: "Que história, Givaldo, de 'A Magia do Natal?'"

Estava sentado, mas quase cai da cadeira. Disfarcei, no entanto, e fiz de conta que não tivesse ouvido. Como, perguntei? A alma parte para repetir  o que me dissera. "Que história é essa, Givaldo, de 'A Magia do Natal?'" E insistiu: "Magia? Por que magia?"

Mas me diga: você é contra magia? Porque, para mim, magia é encanto; magia é fascinação; magia é magnetismo, magia é... Positivamente, para mim, são essas as reais sensações a que me remete a palavra magia.

Agora, se a palavra magia remete o amigo a outras sensações, aí, amigo, estou fora, longe, distante... magia negra, magia branca, magia imitativa, magia...

Ora, por que o nosso Natal não pode receber esse cognome? A nossa cidade já o recebe - "Cidade Mágica de Garanhuns". E tantos e tantos outros cognomes.  Que quiseram e querem subtrair-lha... mas que não conseguiram. Não conseguem. Nem haverão de conseguir. Pela fortaleza do nome da cidade. E pelo charme que ela encerra. E todos esses cognomes honram a nossa cidade. A sua gente. E é azo de muito orgulho de seus filhos.

Muito bonito, portanto, será o nosso Natal. Que já chega. Do tamanho de que precisávamos. E com um cognome inspirador: "A Magia do Natal de Garanhuns" - de 10. 11 a 31.12.17 - 52 dias de intensas magias, e com uma agenda digna de Garanhuns. Agenda para sua gente. Agenda para aqueles milhares que  haverão de aportar na nossa cidade. E propagarem,  depois, do que aqui viram - a beleza e o encanto do nosso Natal.

Ontem, à noite, ocorreu o lançamento de seu "Conceito". Teatro Luíz Souto Dourado, lotado, revivendo os grandes dias da centenário Estação, hoje, Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti.

Garanhuns se encantou. Se fascinou. Se magnetizou. Agora, através de sua gente, vai encantar, fascinar e magnetizar seus milhares de visitantes. Que tomarão as suas ruas e avenidas, para daqui saírem, dizendo que não somos apenas a cidade do melhor clima do Brasil. Mas que também somos a cidade que melhor saúda a chegada da do menino Jesus.


Entendeu, agora, amigo? É disso de que precisamos em Garanhuns. Amor por esse torrão. E o amor  não se constrói com o mal. Com ilações menores... que só apedrejam nossos corações,  produzindo cizânias entre os homens. O amor se constrói com o bem. Com altivez maiores... que só afagam nossos corações, produzindo compreensão entre os homens.

*Givaldo Calado é empresário no ramo da hotelaria, ex-vereador e ex-secretário de cultura de Garanhuns.

**Foto reproduzida do Portal UOL

MARIANA É VÍTIMA DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Por José Fernandes Costa – jfc.costa15@gmail.com

Mariana Menezes Costa era sobrinha-neta do ex-presidente José Sarney. Classe média alta morava com as duas filhas (de nove e 11 anos) numa rua nobre de São Luís do Maranhão: Rua São Luís Rei de França. Nome nobre, para abrigar um crime tão ignóbil.

Mariana tinha 33 anos de idade. Era publicitária e professora na Universidade Ceuma, em São Luís. – Além disso, e das tarefas do lar, frequentava os cultos do Templo Evangélico Batista Olho D’Água. Era devota e lá ela entoava cânticos e orações.

No dia 13.11.2016, um domingo, Mariana saiu da igreja, onde celebravam a festa de aniversário do templo. Foi levada pra casa, com as duas filhas, pelo cunhado Lucas Leite Ribeiro Porto, 37 anos, que também estava no templo. Ao deixar Mariana em casa, Lucas voltou, em pouco tempo, ao apartamento dela. E cerca de 40 minutos após ter voltado, Lucas Ribeiro havia assassinado Mariana, por asfixia. O assassino Lucas, que dizem ser homossexual, está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. – Por ser “empresário bem-sucedido”, logo, logo poderá estar solto, pra matar mais mulheres, infelizmente.

Lucas Ribeiro Porto havia dado carona à cunhada Mariana, após participarem do ato festivo, naquele domingo fatídico. – Deixou-a em casa e saiu em cerca de três minutos. Mas voltou ao prédio onde morava Mariana, 45 minutos após. A porta do apartamento estava aberta, porque as crianças de Mariana estavam na piscina. – Lucas encontrou Mariana no quarto dela, saindo do banho. – Diz ele que Mariana estava despida.

Ao delegado de polícia o facínora Lucas disse que “tinha um desejo incontido de possuir sexualmente Mariana”. E aproveitou aquele momento, porque “não resistiu a vontade”! – Pergunta: por que Lucas voltou ao prédio, tão rapidamente? – Então, não foi o “momento”. Foi crime premeditado.

Mariana resistiu aos ataques do cunhado criminoso! Tanto que ele desceu do prédio, após consumar seus instintos escabrosos, bastante nervoso, transtornado. E com braços e rosto arranhados. Prova de que Mariana reagiu aos ataques do maldito cunhado, antes de ser desfalecida. – Dezenas de câmeras de monitoramento filmaram o criminoso na descida do prédio.

Irado, por ter encontrado resistência, Lucas sufocou Mariana com um travesseiro, até que ela agonizasse; em seguida, com ela já desmaiada, estupro-a e a matou. E, de Imediato, o homicida desceu pelas escadas, do 9º andar do prédio, onde se deu o crime. Não usou mais o elevador. Foi filmado pelas câmeras do edifício; não teve como negar. Confessou à polícia haver matado a cunhada. – Exames das secreções de Mariana confirmaram que houve o estupro.

Pelo que dizem, Lucas é homossexual, nada obstante ser casado. É gilete, como dizemos em gíria. – Mariana tomou conhecimento da homossexualidade do cunhado. E estava se preparando pra contar à irmã Carolina, esposa do dito monstro. Carol talvez não soubesse ainda de mais essa nódoa nas costas do marido. – Mariana, surpresa com essa descoberta, iria falar, também, para outras pessoas do seu ciclo familiar e de amizades. – Lucas ao saber do plano da cunhada, resolveu acabar com a vida dela.

Por enquanto, Lucas Ribeiro está em lugar “bom e seguro”. No Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Essa penitenciária já ficou muito conhecida; e até “famosa” nacionalmente. – Numa rebelião entre três facções criminosas, os presos degolavam seus antagonistas do tráfico de drogas; e jogavam futebol com a cabeça do degolado. – É pena que Lucas possa sair de Pedrinhas antes de ser degolado.

Detalhe: A defesa de Lucas Porto entrou com pedido de incidente de insanidade mental; e quer "provar" que o endiabrado Lucas Ribeiro Porto é mentalmente insano?! - Isso são manobras cínicas de advogados!! - Essas chicanas ardilosas da defesa são do mês de agosto passado. - E o juiz do feito autorizou, em parte, o pedido. - Em suma: o pervertido Lucas Porto foi submetido a exame de sanidade mental, no dia 17 de agosto próximo findo, no Hospital Nina Rodrigues, em São Luís. - O laudo pericial deve ficar pronto em 60 dias, a partir daquela data!! - Tudo pode acontecer!! - Inclusive, Lucas Porto pode até ser posto em liberdade pra continuar sua fúria homicida contra MULHERES indefesas! - Dificilmente esse assassino será mandado para um manicômio judiciário! - Mas onde quer que ele fique, vai ter todas as regalias imagináveis.

Esse assassino conviveu por quase duas décadas com toda família da vítima; era casado com a irmã dela e "nunca demonstrou em todo esse tempo um mínimo sinal de desequilíbrio mental". - Estas últimas palavras são da própria ex-esposa dele, Carolina Menezes, irmã da vítima Mariana. - a) É muito fácil, agora, querer atestado de insanidade mental para se livrar do Tribunal do Júri. - Se a perícia não for "comprada", torna-se impossível comprovar que, à época do homicídio, Lucas Porto fosse inimputável, por distúrbios mentais ou quaisquer motivos outros.

Passado criminoso: - Há tempos que Lucas vive às voltas com a polícia, por vários crimes: estelionato; porte ilegal de armas; falsa comunicação de crime etc. - Ele havia forjado o roubo de um veículo de sua propriedade, pra receber a indenização da seguradora. – Essa era a rotina criminosa do Lucas.

E sua esposa, Carolina Costa, mantinha a rotina da irmã Mariana, no Templo Evangélico Batista Olho D’Água. – No sepultamento da irmã, Carol entoou, entre choro e soluços, este hino que Mariana mais gostava de cantar nos cultos: “Por toda a minha vida, Senhor, eu te louvarei; pois meu fôlego é tua vida e nunca me cansarei”.

De outra parte, o que se diz é que o marido de Mariana, Marcos Renato, um agropecuarista “quebrado”, era ausente na vida da esposa; e vivia em Itapecuru-Mirim, a 108 Km de São Luís. – Agora, por infelicidade, Mariana está morta; e Carol está não se sabe como. – Porque ter um marido envolvido em dezenas de crimes ou ter esse marido no Complexo de Pedrinhas, não faz muita diferença. – No dia seguinte ao homicídio (14.11) foi decretada a prisão preventiva de Lucas Porto. E ele foi encaminhado ao presídio.

Posto que logo após o crime, a polícia começou as investigações pra desvendar a morte de Mariana Costa. Em poucas horas, já sabia que ELA fora morta por asfixia e estrangulamento; em sua cama, no próprio apartamento, naquele domingo 13. – O cunhado homicida, Lucas Ribeiro Porto, diante das evidências, confessou ter matado Mariana. As câmeras mostraram que ele foi o único a entrar no apartamento dela, naquele curto espaço de tempo. – Assim, Lucas continua preso em Pedrinhas. – E Mariana pagou com a vida. – Mais uma monstruosidade contra as mulheres, entre tantas outras. /.


*FOTOS do Facebook de amigos e do Portal G1

JAIR BOLSONARO E A SEGURANÇA PÚBLICA

Por Kiko Nogueira*
Jair Bolsonaro foi o deputado federal mais votado do Rio de Janeiro em 2014, com 464 mil votos.
Em seu sétimo mandato, Bolsonaro está na Câmara há 26 anos. Quando chegou a Brasília, no início da década de 1990, atendia os interesses dos militares.
Mais recentemente, passou a incluir qualquer coisa em sua agenda, desde que renda assunto nas redes sociais entre seus seguidores de extrema direita.
A tragédia na Rocinha é uma oportunidade excelente para saber: o que Jair fez pela segurança de sua terra? Quais suas propostas nesse sentido? Ao longo de mais de duas décadas, o que ele conseguiu implementar para tornar o cotidiano do carioca menos apavorante?
Resposta: nada.
Jair é um fanfarrão especializado em tagarelar e angariar apoio e eventual adoração de otários fascistoides com soluções incríveis como castração química de estupradores, pena de morte, fim das cotas e distribuição de armas para a população. Volta e meia põe um nióbio ou um grafeno no meio.
Na hora de legislar, de trabalhar, um fiasco.
Desde 1991, Jair apresentou 171 projetos de lei, de lei complementar, de decreto de legislativo e propostas de emenda à Constituição (PECs). O número é auto explicativo.
Apenas dois foram aprovados: o benefício de isenção do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) para bens de informática e a autorização para o uso da chamada “pílula do câncer”, a fosfoetanolamina sintética.
A primeira emenda de sua autoria, aprovada em 2015, determina a impressão de votos das urnas eletrônicas.
Ele se defende dizendo que “tão importante quanto apresentar propostas, é rejeitá-las”. Assim tenta vender o peixe de que acabou com o “kit gay”, material didático contra a homofobia vetado na gestão de Dilma Rousseff, em 2011.
Bolsonaro é um populista desmiolado, limítrofe e despreparado. Numa entrevista ao amigo Danilo Gentili, falou sobre sua “plataforma” para 2018: “Muita coisa está ligada à violência (…) Vivendo num país inseguro como o nosso, você não tem turismo. (…) Precisamos dar um cavalo de pau na política de direitos humanos. (…) Precisamos acabar com o estatuto do desarmamento”.
Como seu eleitorado é feito de gente como ele, o que o sujeito precisa é apenas repetir a retórica do “bandido bom é bandido morto”. Nenhuma ideia concreta.
Não é necessário que ele trabalhe em Brasília pelo estado e a cidade que o elegeram. Basta vomitar ódio e burrice.
Você ganha um pirulito se adivinhar o que ele declarou sobre a Rocinha nestes últimos dois dias de tiroteio.

Exato: o mesmo que apresentou nesse tempo todo como parlamentar.
*Kiko Nogueira é jornalista e editor do Diário do Centro do Mundo.

A TRAJETÓRIA DE EXPEDITO NOGUEIRA

Por Altamir Pinheiro

Encravado na parte leste da região do Agreste Meridional de Pernambuco, o município de CALÇADO, mais conhecido como a TERRA  DA LAVOURA, por ser um grande produtor de feijão,  atualmente  é governado pelo talentoso e bem sucedido  empresário e ex-gerente de banco, Francisco Expedito da Paz Nogueira. 

No campo do estilo pessoal, o atual prefeito é um ser humano substancialmente   tratável, bastante eloquente, além de ser dotado de uma lucidez de causar inveja  a determinadas  pessoas por mais inteligentes que essas sejam.  Estreante ou calouro na administração pública, NOGUEIRA, como é conhecido, vem surpreendendo o mundo político interiorano pelo seu estilo ou modelo  de gestão implantado naquela prefeitura, logo após sua posse como prefeito eleito de Calçado.

Filho do  senhor Gercino Nogueira, aposentado como fiscal de renda, uma  figura agradabilíssima por ser  um cidadão muito bem humorado e que goza de grande simpatia perante à sociedade garanhuense. Logo cedo, o filho de seu Gercino, NOGUEIRA,  enveredou pelo  caminho financeiro sendo funcionário concursado do Banco Nacional do Norte (BANORTE), onde hoje está edificada a Caixa Econômica Federal de Garanhuns, chegando ao posto de gerente geral da agência, sendo que logo após tornou-se empresário no ramo de lubrificantes e combustíveis, donde, saiu-se ou fora muito bem sucedido, pois não é à toa que seus familiares prosseguiram nesse mesmo comércio de postos de combustíveis e lubrificantes.   

Na verdade, não existe fórmula pronta para se tornar um bom gestor (principalmente gestor público), mas dois pontos são imprescindíveis para uma gestão adequada: paixão por aquilo que se faz e capacidade de superação, ou seja suportar e adaptar-se a situações adversas, sobretudo quando o dinheiro é curto e medido e ainda por cima o compromisso de se prestar contas aos tribunais específicos. Reza a cartilha da boa gestão que, um administrador municipal que se preza tem como função gerenciar as ações sem se desligar de delegar tarefas operacionais as suas respectivas secretarias. Agora, - que parece ou demonstra ser o caso de NOGUEIRA em Calçado -, o prefeito não pode esquecer que ele está no comando, e que é possível e aceitável delegar as funções, mas não é adequado entregar todo o processo nas mãos da equipe, por mais competente e confiável que ela seja. Portanto, o prefeito esteja sempre na frente, crie métodos que possibilite a visibilidade de todos os projetos em andamento e procurando ter como pano de fundo, não abrir mão e zelar pela  boa e velha cobrança aos seus subordinados.

Na região do Agreste Meridional estão surgindo duas boas e belas surpresas no campo da administração pública. Estamos nos referindo aos prefeitos de Caetés e Calçado, Armando e Nogueira respectivamente. Percebe-se claramente que os dois possuem algumas ferramentas hábeis e adequadas para lidar com inúmeros desafios que, pra variar, convivem com a famosa falta de recursos. Aliás, diga-se de passagem que na maioria das vezes o grande obstáculo das prefeituras de nossa região, além da falta de verbas é justamente a crônica falta de qualificação dos funcionários municipais. 

Acarretando com isso  um exemplo claro do despreparo das prefeituras na hora de executar ou acompanhar projetos e programas em níveis federais. Até porque, estatisticamente falando, dos projetos apresentados por prefeituras ao governo federal muitos são rejeitados único e exclusivamente por falta de qualidade técnica.

É sabido que,  dentre as habilidades para exercer um cargo tão espinhoso, sem dinheiro, como ser prefeito, são essenciais que o gestor se adapte ao cargo que exerce apesar das dificuldades financeiras e nunca abrir mão da força e superação, como também  se cercar de pessoas confiáveis e competentes no que fazem; extrair o melhor de cada secretário; ponderar as melhores alternativas para com sua equipe de trabalho. 


Tudo isso são habilidades essenciais para que o executivo tenha sucesso na empreitada a que se submeteu ou abraçou. Pois,  precisa avaliar quão benéfico será o impacto das mudanças para que apareçam os devidos resultados. Parece que esses dois administradores públicos(Armando e Nogueira)     botaram essas ferramentas de trabalho em prática e vêm se dando muito bem. Que assim seja e que sirva de exemplo para outros gestores da região!!!

sábado, 23 de setembro de 2017

JORNALISTA JUCA KFOURI LANÇA LIVRO DE MEMÓRIAS

Aos 67 anos um dos jornalistas mais conhecidos do Brasil, Juca Kfouri, lança no próximo dia três, em São Paulo o livro “Confesso que Perdi”, com as suas memórias de vida.

Juca, que já foi diretor das Revista Placar e Playboy, quando as duas publicações estavam no auge, conta como foi sua trajetória de vida e revela as nuances da profissão de repórter.

Ele revela muitas coisas dos bastidores do futebol, assunto que domina com maestria e também relata momentos de sua militância política, desde a época do regime militar até os dias de hoje, quando tem a oportunidade de falar sobre a queda de Dilma (a quem critica por ter prometido o que não podia cumprir) e a chegada ao poder do peemedebista Michel Temer por um golpe parlamentar.

Na avaliação do jornalista a imprensa brasileira, nos dias atuais, não defende os interesses da população brasileira, como fazia nos anos 70.

Nesse ponto, Juca critica a grande imprensa que carrega nas manchetes contra um lado (o de Lula e Dilma) e alivia do outro (Temer e aliados).

Kfouri é um bom jornalista, um cara decente e comprometido com um trabalho honesto e de qualidade. O nome do livro, “Confesso que Perdi”, tem a ver com a sua vida, mais também é uma alusão a autobiografia famosa do poeta Pablo Neruda, intitulada: “Confesso que Vivi”.

Antes mesmo do livro sair já se sabe que Juca Kfouri marcou mais um golaço.

ARMANDO COMEMORA SUCESSO DO CAETÉS FEST

Mais uma vez a Caetés Fest foi um sucesso e levou milhares de pessoas às ruas do centro da cidade , para alegria do prefeito Armando Duarte, que investiu o que pôde no evento.

Armando é só alegria, como se pode ver na foto acima, e amanhã estará prestigiando o desfile cívico que fecha a programação do aniversário do município.

CALÇADO SE PREPARA PARA O FESTIVAL DA LAVOURA

Em Calçado está sendo feito a contagem regressiva para início do 29º Festival da Lavoura do Município, que vai de 29 a 1º de outubro próximo. A turma jovem da cidade está na maior das expectativas, porque a festa terá boas atrações, como a cantora Belinha Lisboa, que está na ilustração acima.

O prefeito Nogueira, a primeira dama Jailma, o vice-prefeito, vereadores, secretários e toda equipe estão unidos para que o Festival este ano seja um sucesso, mantendo a tradição de quase três décadas. 

NATAL DE GARANHUNS DEVE ATRAIR TURISTAS

As festividades natalinas em Garanhuns, neste final de ano, têm tudo para repetir o êxito dos anos anteriores.

O evento começa oficialmente no dia 10 de novembro e se entende até o último dia do ano, com muitas luzes e decoração de época nos principais pontos da cidade, como a Avenida Santo Antônio, Praça da Fonte Luminosa e Praça do Relógio das Flores.

Para completar a Prefeitura ainda investiu na contratação de artistas locais e nacionais.

Durante a “Magia do Natal de Garanhuns” teremos a apresentação de artistas como Adilson Ramos, Fernando Mendes, Andrea Amorim, Joana e The Fevers.

Trabalham para o sucesso do evento o prefeito Izaías Régis, a primeira dama do município, Socorro Régis, a administradora Michelli Régis (que está à frente do projeto de decoração), a equipe da Secretaria de Turismo, a agência de publicidade Impacto e a Secretaria de Comunicação, que juntas vão divulgar a programação natalina da cidade.

A expectativa da festa é a melhor possível, tanto que o empresário da rede hoteleira e ex-secretário de Cultura do Município, Givaldo Calado, pelas redes sociais elogiou a concepção do Natal apresentada pelo prefeito e demonstrou confiança com o sucesso do evento.

Emissoras de rádio e TV, blogs e sites locais e da capital vão dar ampla cobertura ao Natal de Magia de Garanhuns, que certamente, como tem acontecido nos últimos anos, vai atrair muitos turistas à cidade.

*Na foto de lançamento do conceito do Natal as presenças das seguintes personalidades: vereador Alcindo Correia, vice-prefeito Haroldo Vicente, deputado Silvio Costa Filho, vereadora Carla, deputado Álvaro Porto, prefeito Izaías Régis, secretário Mewintton Araújo, suplente de vereador Luiz Leite, Macambira, ex-vereador Zé de Vilaço e vereadora Luzia da Saúde.