GOVERNO DE PERNAMBUCO

GOVERNO DE PERNAMBUCO
Presença do Governo no Agreste Meridional

Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

domingo, 19 de novembro de 2017

WALDICK E O PRECONCEITO CONTRA O ARTISTA POBRE

Eurípides Waldick Soriano nasceu em Caitité, cidadezinha com pouco mais de 50 mil habitantes, no interior da Bahia.

Ainda criança foi abandonado pela mãe e este fato marcou toda sua vida.

Antes de se tornar um artista conhecido, Waldick trabalhou como lavrador, garimpeiro, motorista de caminhão engraxate e ajudante de feira.

Foi para São Paulo, tentar a vida como artista, quando já tinha 27 anos.

Emplacou seu primeiro sucesso no final dos anos 50, com a música “Quem És Tu?” e na década seguinte tornou-se muito popular com canções como A Carta, Tortura de Amor, A Dama de Vermelho e Paixão de Um Homem.

Waldick era fã do personagem Durango Kid, dos filmes de faroeste, e a partir dele adotou o jeito de se apresentar: sempre usando roupa e chapéu preto, além de óculos escuros.

Na época em que o cantor de Caitité era popular, ainda não era conhecida a expressão brega e Waldick Soriano era rotulado como um artista “cafona”.

Ele, como outros do mesmo estilo musical – Agnaldo Timóteo, Reginaldo Rossi, Odair José, Evaldo Braga, Paulo Sérgio e Nélson Ned – nunca foram levados a sério pela crítica especializada, não emplacaram músicas nas trilhas sonoras das novelas, nem foram reconhecidos pelo papel importante que exerceram junto às classes populares.

Coube ao jornalista e escritor Paulo César Araújo, autor de uma biografia de Roberto Carlos, censurada pelo “rei”, fazer justiça aos bregas, quando da publicação do livro “Eu Não Sou Cachorro Não”, cujo título é uma homenagem a Waldick e a uma de suas músicas mais conhecidas.

No livro de Paulo César, que se tornou um clássico sobre a MPB, os cantores românticos dos anos 60 e 70 são mostrados na sua real dimensão e é apontada uma forte carga de preconceito contra eles,  pela origem humilde e por não serem engajados em causas políticas.

Na época da ditadura militar, segundo o historiador, artistas como Waldick Soriano, Odair José e Paulo Sérgio estavam muito preocupados com a sobrevivência e não tinham como participar de movimentos políticos.

Waldick estudou apenas até o quarto ano primário (hoje 4ª série do ensino fundamental).

“Minha universidade foi a vida”, disse o cantor no documentário “Sempre no Meu Coração”, em que a atriz Patrícia Pillar fez um tributo ao artista, que já estava velho e doente.

Ele morreu em 2008, aos 75 anos, de câncer de próstata.

Teve ao longo da vida 14 mulheres.  Com a primeira viveu apenas dois meses, mas com outra, Marinês (não se trata da cantora de forró),  conviveu por por 17 anos, numa casinha simples no Piauí. “Mas nunca encontrei a tal felicidade”, desabafou numa emissora de TV.

Um dos seus filhos, Waldemar Soriano, numa entrevista ao apresentador Geraldo Luís, da Record,  revelou que o pai morreu pobre, sem deixar dinheiro, casa ou qualquer bem.

O enterro de Waldick Soriano, segundo Waldemar, foi pago pelo cantor Agnaldo Timóteo.

Waldick gravou 82 discos e compôs 700 músicas, segundo ele mesmo confessou.

Uma de suas canções mais conhecidas, “Tortura de Amor”, foi censurada pela ditadura militar, porque os gênios do regime imaginaram que a canção trazia uma “mensagem cifrada” sobre o que estava acontecendo nos porões, na época.

Esta música foi regravada, anos depois, por Maria Creuza, Altemar Dutra, Agnaldo Timóteo e Raimundo Fagner.

Além de suas próprias músicas, o cantor baiano gravou composições de outros artistas, inclusive um disco com canções de Roberto e Erasmo Carlos.

“Sempre no meu Coração”, o tocante documentário feito por Patrícia Pillar, termina com uma vigorosa interpretação de Waldick da música “Cavalgada”, uma das mais inspiradas do rei e seu parceiro.

*Foto de Waldick no filme dirigido por Patrícia Pillar. Reproduzida do site "Cinema 10".

*Paulo César Araújo revela que o cantor Odair José foi um dos mais censurados pelo regime militar. "Chico Buarque era censurado por motivos políticos e Odair por questões morais", explicou o jornalista e historiador num programa de TV.

**Além do livro de Paulo César, indispensável para saber mais sobre Waldick e a música brega, no YouTube encontramos vídeos preciosos sobre o artista, inclusive o citado documentário de Patrícia Pillar.

PROGRAMAÇÃO DO NATAL DE GARANHUNS HOJE TEM MPB

Por Edméa Ubirajara

Muitas famílias à espera, público animado e participativo. O sábado (18) começou com o tradicional Desfile de Papai Noel, que leva alegria ao público que vem ao encontro do bom velhinho na Avenida Santo Antônio. No palco, estiveram Banda Legião Brown, Rede de Dança da Igreja Jardim das Oliveiras e Celino Melo. Amanhã, a programação começa às 18h, com mais um Desfile de Papai Noel.

A auxiliar de sala de aula Zulene da Silva, trouxe Maria Gabriela para ver o Desfile, mas quase não consegue acompanhar. “Chegamos tarde, mas ainda deu pra ver sim. É tudo muito lindo. Amanhã venho mais cedo pra não perder nada”, diz. Depois do percurso com carros alegóricos e as coreografias realizadas pelas crianças e adolescentes dos Centros de Referência e Assistência Social (Cras), o Papai Noel ainda atende uma a uma cada criança que quer entregar uma cartinha ou só posar com ele. A fila de até 20 metros, em média, só aumenta com mais pequenos ansiosos pelo encontro.

A primeira atração da noite foi a Banda Legião Brown do Erem Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, do município de Capoeiras, que tem 11 projetos com bandas musicais. Na estreia deles no palco, fizeram homenagens a Legião Urbana e Charlie Brown Jr. A Rede de Dança da Igreja Jardim das Oliveiras apresentou um espetáculo de dança contemporânea. Toda a temática tratou do nascimento de Jesus Cristo como principal motivo para a comemoração do Natal. O grupo formado por 60 crianças, jovens e adultos também é estreante na Magia do Natal, mas já atua há 17 anos.  O encerramento do sábado foi com Celino Melo, no Palco Prefeitura. O garanhuense apresentou clássicos da MPB com uma nova roupagem, além de músicas autorais. Com mais de 30 anos de carreira, Celino se apresenta pela segunda vez no Natal e já esteve também nos palcos do Festival de Inverno de Garanhuns.

DOMINGO - Às 18h, terá início o Desfile de Papai Noel e a programação de shows começa às 19h com o Grupo Arte dos Movimentos Studio de Dança. Logo após, quem sobe ao palco é o Grupo de Flautas do Cras Magano, seguido pelo show dos Valvulados, e encerrando as apresentações quem sobe ao palco é o cantor Hercinho. A Magia do Natal chega também ao distrito de São Pedro neste domingo. A peça “Auto do Natal”, da Trupe do Professor Hildeberto Martins (Trhimar), da Escola Elisa Coelho, será a primeira do Natal nos Distritos. O grupo se apresentará a partir das 17h30min. A Companhia Fisa D’Arte e a Orquestra Manoel Rabelo também fazem parte da programação.


Imagens no link: https://goo.gl/KLjtx3

​Foto no alto: Do Facebook de Oliveira Ana

GOVERNO INCENTIVA PRODUTORES DE QUEIJO DO ESTADO

Com o objetivo de garantir mais segurança e condições de comercialização de queijos artesanais produzidos no Estado, o governador Paulo Câmara enviou sexta-feira (17), à Assembleia Legislativa de Pernambuco, Projeto de Lei que estabelece a modificação da Lei nº 15.948, de 16 de dezembro de 2016, que concede benefícios fiscais referentes ao Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).

A medida é um incentivo para a formalização do setor, que poderá vincular o recebimento de benefícios ficais – tanto para o produtor quanto para o varejista – por meio da adoção da Nota Fiscal Eletrônica para a comercialização deste tipo de produto.

A iniciativa é uma antiga reivindicação dos produtores de queijos artesanais que viviam fragilizados diante das fiscalizações. 

LUTA CONTRA O FEMINICÍDIO É A LUTA CONTRA O CAPITAL

Nota Política do PCB – Campinas: Ana Paula Alencar, Presente!

Ana Paula Alencar, Presente! A luta contra o feminicídio é a luta contra o Capital!
No dia 09/11/2017, mais um caso de feminicídio veio à tona, desta vez na cidade de Mogi-Guaçu, na região de Campinas. Ana Paula Alencar, de 21 anos, foi assassinada a facadas pelo seu ex-companheiro.
Os jornais burgueses, como de costume, abordaram o ocorrido como mais um caso de disfunção conjugal e, portanto, a ser resolvido, senão entre quatro paredes, nos limites da crônica policial. No entanto, é preciso dizer em alto e bom som: não só a subordinação material, física e moral da mulher pelo homem remonta tempos longínquos, mas também a propriedade de sua vida!
A propriedade do homem sobre a vida da mulher não remonta apenas aos tempos em que o feminicídio era legitimado por lei, em casos de defesa da “honra” (dos homens proprietários, é óbvio). A propriedade da mulher pelo homem remonta, antes, ao nascimento da família monogâmica como resultado da divisão social do trabalho na produção de mercadorias, isto é, na gênese do capital, da propriedade privada e do Estado, como Friedrich Engels demonstrou com detalhes em A origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado.

Nos diz Engels: “O estágio da produção de mercadorias com que começa a civilização caracteriza-se, do ponto de vista econômico, pela introdução: 1) da moeda metálica (e, com ela, o capital em dinheiro), dos juros e da usura; 2) dos comerciantes como classe intermediária entre os produtores; 3) da propriedade privada da terra e da hipoteca; 4) do trabalho como forma predominante na produção. A forma de família que corresponde à civilização e vence definitivamente com ela é a monogamia, a supremacia do homem sobre a mulher, e a família individual como unidade econômica da sociedade. (…). Também são características da civilização: (…) a introdução dos testamentos, por meio dos quais o proprietário pode dispor de seus bens mesmo depois de morto”[1].
Com o advento das bases iniciais do capitalismo, a mulher passa ao aprisionamento da propriedade privada e da família. O direito materno sobre a prole é extinto, dando lugar ao direito paterno, tendo como base fundadora, a partir da divisão sexual do trabalho, a propriedade masculina sobre as terras e o capital. Bem entendido, o controle reprodutivo da mulher diante da questão da hereditariedade da propriedade privada é, portanto, essencial à manutenção do poder e da ordem do capital. A monogamia, obviamente, é imposta somente à mulher, estando o homem, proprietário, livre para se relacionar com outras mulheres: a prostituição aparece simultaneamente, não por acaso, como instituição histórica estruturalmente ligada à família monogâmica e, portanto, como alicerce que a reproduz socialmente.
É óbvio que a moral da sociedade burguesa e sua classe dominante, em conflito Fáustico com sua sede de “mais-valia”, não impediu que as mulheres (dos trabalhadores) fossem lançadas ao mercado de trabalho. Muito menos impediu que estas mesmas mulheres tivessem que passar, agora, a executar jornadas triplas para garantir não só a produção de “mais-valia” absoluta, mas também “mais-valia” relativa, já que o trabalho doméstico ajuda na reprodução material da vida dos trabalhadores, diminuindo, assim, o valor da força de trabalho disponível no mercado para o desfrute da classe capitalista como um todo.
A história nos mostra que a opressão sobre as mulheres e o feminicídio não existe desde sempre. Ela começa com o nascimento e o desenvolvimento da propriedade privada, do capital e do Estado. A emancipação da mulher está, portanto, intrinsecamente ligada à luta contra a sociedade capitalista. A luta pela emancipação da mulher é a luta pela emancipação do gênero humano.
É por isso que o PCB-Campinas vem a público demonstrar todo apoio, na individualidade do caso de Ana Paula Alencar, à luta organizada de todas as mulheres e homens da classe trabalhadora contra o feminicídio e o capital.
Ana Paula Alencar, Presente!
A luta pela emancipação da mulher é a luta pela emancipação de toda humanidade!
A luta contra o feminicídio é a luta contra o Capital!
Lutar, criar, poder popular!
PCB – Campinas.  Apoio: PCB (Partido Comunista Brasileiro) de  Garanhuns/PE

1. ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. p. 198 e 199. Editora Civilização Brasileira. Rio de Janeiro. 1987.

GARY COOPER, O VAQUEIRO MAIS ELEGANTE DO OESTE

Por Altamir Pinheiro

Chic, sofisticado, sexy, enigmático... 

Assim era Gary Cooper. Como diz o pesquisador da Sétima Arte,  Paulo Telles,  Gary Cooper estava longe de ser um grande ator pela crítica, mas esta o respeitava porque ele tinha, realmente, uma presença enigmática e sofisticada. Exercia admiração tanto por parte do público feminino quanto pelos homens, que chegavam a declarar que queriam ser como ele. Gary Cooper era o herói ideal de uma Hollywood que não mais existe.

Gary Cooper é, até hoje, mesmo para os mais jovens um ícone interessante, pois em qualquer época sua galanteria e sua beleza estão em evidência, e nunca caem de moda. Gary é admirado pelas mulheres como um dos mais belos homens do cinema, mas sua beleza não era apenas exterior. Seu modo de proceder era o exemplar que jamais interpretou em seus filmes algum papel de vilão. Quando existem fãs após sua geração e que continuam a se perpetuar, esteja certo que o mito esta mais vivo do que nunca, e jamais morrerá!!!

Ele sempre se posicionou como um ator em oposição ao exagero, ao excessivo. O seu tipo de atuação era composto por formas simples e por poucas cores, o que não quer dizer que não fosse um bom ator, mas ele tinha um único estilo (tal qual John Wayne), o padrão de herói americano por excelência, ideal este que ele representava como ninguém nas telas. Contudo, um ator deve fazer de tudo (ou quase), seja na ação e na interpretação em si, afinal em sua grande parte, vimos Burt Lancaster, Lee Marvin, Charlton Heston, Kirk Douglas, entre tantos, atuarem de forma ativa em todas as fitas que cada um participou. Se notar, cada um deles personificou heróis e vilões, o que não era o caso do bonitão  Gary Cooper.

O pesquisador Eddie Lancaster faz uma trajetória de Gary Cooper ao afirmar que ele  começou sua carreira, ainda no cinema silencioso, participando como extra de vários filmes mormente nos westerns, fazendo papel até de índio por ser um grande cavaleiro. Gary projetava na tela e incorporava a figura do americano ideal: um cavalheiro, alto, bonito, de fala mansa, com inabalável integridade, vencendo as adversidades a despeito das possibilidades contrárias ou situação critica. Por isso muitos o consideravam o maior dos atores e outros, entretanto, se referiam a ele apenas como um astro de personalidade marcante, nada mais, especialmente durante o período de sua maior atividade, de 1935 a 1945.

A linha indecisa  que separava Gary  Cooper de John Wayne era definitivamente suas ideologias políticas, muito embora fossem republicanos, no entanto Cooper era mais MODERADO, e Wayne, RADICAL. Cooper foi um cavaleiro e NOBRE perante a comissão de Atividades Anti-Americanas, e tal depoimento foi filmado, onde vemos Gary declarar que não existia nenhum movimento comunista em Hollywood e quando foi perguntado se conhecia algum comunista, ele alegou que não – não entregou ninguém e manteve uma dignidade ímpar até o fim. Wayne e Cooper foram amigos, e sabemos que lidar com o Duke não era fácil. Mas Wayne não se importou em RECEBER PARA O AMIGO o Oscar ganho por MATAR OU MORRER, já que Gary filmava SANGUE NA TERRA no México. MATAR OU MORRER uma das primeiras escolhas foi justamente Wayne para o papel de Will Kane, mas tão logo leu o script não gostou e recusou, pois não era de sua índole um homem pedir por socorro.

Na filmografia de GARY COOPER constam clássicos arrebatadores como Matar ou Morrer(1952) com o feioso Lee Van Cleef e a encantadora   Grace Kelly; neste mesmo ano ele filma Renegado Heroico; outro clássico de Gary surgiu em 1954, um filme polêmico em seu conteúdo, até porque Gary Cooper contracena com o excelente Burt Lancaster, trata-se de, VERA CRUZ, A película possui grandes estrelas dos westerns norte-americanos e influenciou muitos filmes do gênero, que ainda viriam a dar as caras num futuro próximo, como Sete Homens e um Destino (John Sturges), Três Homens em Conflito (Sergio Leone) e Meu Ódio Será tua Herança (Sam Peckinpah). 

No ano de 1958 aparece o filme O Homem do Oeste. Enfim, um western de qualidade, com um fundo até melancólico e violento, mas um retrato do que foi aquela parte do país Americano. O Homem do Oeste tornou-se em um dos seus mais marcantes trabalhos. Mesmo porque foi uma obra dirigida pelo grande ANTHONY MANN, diretor que fez grandes clássicos do cinema, como por exemplo; O Preço de um Homem, Whinchester 73, O Homem dos Olhos Frios, E O Sangue Semeou a Terra, dentre outros. Mann parece que deu um presente a Cooper, que andava muito adoentado do mal que lhe tirou a vida, proporcionando ao grande ator uma de suas melhores interpretações.

Cooper que tinha 1,91 de altura estreou no cinema Entre 1925 e 1926, Começava, assim, uma carreira vitoriosa de cerca de 100 filmes, até sua morte aos 60 anos de idade, de câncer.  Gary Cooper recebeu dois Oscars de Melhor Ator por seus desempenhos em "Sargento York" e "Matar ou Morrer".  Adicionalmente, foi indicado ao Oscar por suas atuações em mais dois e o lendário filme "POR QUEM OS SINOS DOBRAM".  Em 1961, pouco antes de sua morte, recebeu ainda da Academia de Hollywood um Prêmio Especial pelo conjunto de sua obra.  Não podendo comparecer à cerimônia, James Stewart o aceitou em seu nome.  Ao contrário da maioria dos atores e atrizes que colecionam casamentos, Gary Cooper casou-se apenas uma vez, em 15 de dezembro de 1933, com Sandra Shaw, com quem viveu até o dia de sua morte.  O casal teve uma filha, Maria Cooper. 

Apesar de ter sido casado durante todo esse tempo, o ator ficou famoso pela sua extensa lista de amantes ao longo do casamento. Em 1960 fez duas cirurgias para retirada de câncer de próstata e em seguida no cólon. Os médicos acreditavam que ele estava curado, até que em 1961, quando estava filmando na Inglaterra, o ator começou a sentir fortes dores no pescoço e no ombro e após uma consulta descobriu que o câncer havia se espalhado para o pulmão e os ossos.

sábado, 18 de novembro de 2017

MARÍLIA ARRAES VOLTA AO AGRESTE MERIDIONAL

Marília em Brejão no final de setembro

Poucos mais de um mês e meio desde sua última visita ao Agreste Meridional, a vereadora Marília Arraes, pré-candidata ao Governo do Estado, pelo PT, volta à região neste domingo (19), passando pelos municípios de Brejão e Águas Belas.

Na primeira cidade ela toma o café da manhã, na residência do professor Paulo Moraes, junto com lideranças de diversas cidades do Agreste.

Paulo Moraes, que vai assumir a presidência do PT em Brejão, passará a Marília os nomes dos que formarão com ele a comissão provisória do Partido dos Trabalhadores no município.

Depois, Marília Arraes vai até Águas Belas, que é governada pelo petista Luiz Aroldo e participa de uma plenária naquela cidade.

Segundo o blog de Wellington Freitas, o senador Humberto Costa e a deputada Tereza Leitão também participarão do encontro em Águas Belas.


Lideranças políticas de Garanhuns, Bom Conselho, Terezinha, Paranatama, Jupi e outros municípios da região devem estar com Marília em Brejão ou Águas Belas.

PESQUISA ACABA COM TUCANOS E DESACREDITA A JUSTIÇA

A última pesquisa do Vox Populi sobre a eleição presidencial, divulgada neste final de semana, mostra uma força impressionante do presidente Lula e ao mesmo tempo desacredita instituições respeitáveis como o Poder Judiciário e o Ministério Público.

Ora, se 42% dos eleitores querem votar em Lula para presidente, enquanto Bolsonaro, o segundo colocado na pesquisa,  tem 16% e Marina Silva apenas 7%,  isso é uma demonstração clara de que os brasileiros não estão acreditando nas acusações feitas contra o petista.

Ao que parece o eleitorado acredita que há uma perseguição ao ex-presidente, tendo este virado “vítima” perante a opinião pública. Por isso hoje venceria a eleição no primeiro turno, caso fosse candidato.

Se por acaso houvesse um segundo turno e Lula estivesse no jogo,  venceria com mais de 50% contra 21% do adversário melhor situado.

Tem mais: Antes um pré-candidato de forte rejeição, agora o petista é o menos rejeitado, com 39%. 

Os tucanos João Dória e Geraldo Alckmin aparecem com 72% de rejeição e Bolsonaro tem 60%. 

Marina Silva e Luciano Huck também têm rejeição mais alta do que o representante do PT.

Os números do Vox Populi podem ser contestados pelos que não gostam de Lula, até porque a pesquisa foi encomendada pela CUT.  Mas os números desse instituto depois têm sido confirmados pelo IBOPE e Datafolha.

A Justiça condenou o ex-presidente, porém pelo que se vê nas pesquisas o povo está disposto a absolvê-lo e não acredita que ele tenha cometido nenhum crime. 

Os que acusam Luiz Inácio da Silva, por sinal, até agora não conseguiram apresentar provas concretas contra ele


Diante desses fatos, vale lembrar uma afirmação feita pelo pensador Leandro Karnal: “O ex-presidente é inocente, ou então é um gênio na ocultação de provas”.

*Foto: Rede Brasil Atual.

VEREADORA APOIA CAUSA DOS GUARDAS MUNICIPAIS

A Prefeitura de Garanhuns pode convocar mais guardas municipais, aprovados no último concurso público realizado, por conta da saída de um número significativo de servidores dessa área de segurança. Alguns se aposentaram, outros foram trabalhar em outras cidades ou funções e há necessidade de se recompor o quadro.

Até uma reunião já foi realizada na prefeitura para discutir o assunto, com participação do presidente da AMSTT, Elielson Pereira e da vereadora Betânia da Ação Social, que está apoiando a comissão de aprovados na Guarda Municipal.

Segundo os que integram a comissão citada, a participação de Betânia, que propôs a realização da reunião  ao prefeito Izaías Régis, foi importantíssima para reforçar a causa que eles abraçaram. "É um esforço para resolver esta situação,  que tem se prolongado já há algum tempo. É também uma contribuição para a segurança da sociedade garanhunhense”, comentou um dos representantes dos aprovados no concurso da Guarda Municipal.

Uma nova reunião deve acontecer, com participação da direção da AMSTT e da Procuradoria Jurídica do Município, para que se chegue a uma definição a respeito do assunto.

*Foto publicada pelo blog V&C Garanhuns e no Facebook da vereadora Betânia da Ação Social.

MARINHO LEVA REIVINDICAÇÕES DO MANOEL CAMELO À CEF

O vereador Marinho da Estiva articulou junto à Gerência Executiva de Habitação (GIHAB) uma reunião, que ocorreu na última terça-feira (14), tendo como pauta principal reinvindicações dos moradores do Condomínio Manoel Camelo.

Participaram do encontro o vereador Marinho, o Gerente Regional da Superintendência Regional Centro Oeste de Pernambuco, Paulo Lira,  a Supervisora da GIHAB, Betânia Menezes e os representantes do Condomínio Quadra X, C2 e do Castainho, Neuza Rosalina de Almeida Silva, Santina Lima de Noronha, Nerivalda de Lima Souza e Ronaldo José do Nascimento.

Na oportunidade, os participantes da reunião puderam expor todas as dificuldades e problemas que o Condomínio está passando. Segundo os mesmos, muitos dos moradores reclamam, pois o que era para ser um sonho, acabou se tornando um verdadeiro pesadelo diante das infiltrações, rachaduras, remendos e consertos sem fim, algo que se tornou rotineiro no dia a dia daquelas pessoas que têm que conviver com esses transtornos cotidianamente.

Hoje, a maior parte dos condôminos, se queixam de problemas na construção, como falta de acabamento, rachaduras, terreno instável e defeitos na rede de saneamento, os moradores se queixam ainda das unidades construídas com materiais de baixa qualidade e sem observar as normas técnicas exigidas, o que compromete a segurança e o bem-estar dos beneficiários.


Diante de toda essa situação colocada pelos moradores, a Caixa se comprometeu em mandar um engenheiro para fazer uma vistoria nos prédios com posterior elaboração de um laudo para identificar possíveis "vícios construtivos" - falhas na construção da residência, e que logo após analisarem o laudo irão tomar as providências cabiveis.

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ REALIZAM ENCONTRO EM CAETÉS

Neste mês de novembro, as Testemunhas de Jeová realizarão duas edições da Assembleia “Não desista de fazer o que é bom!”, com base no texto bíblico de Gálatas 6:9,10. A primeira edição será no sábado, dia 25 e a segunda no domingo, dia 26. A programação tem início a partir de 09h40 da manhã. O Evento acontecerá na Quadra Poliesportiva da Escola Municipal Monsenhor José de Anchieta Callou, localizada na Rua Um, nº. 75, no Bairro Morumbi na cidade de Caetés – PE. Pessoas de todas as idades e formações são bem-vindas. A entrada é gratuita e não se fazem coletas.
Esse importante evento bíblico incentivará os presentes a não desistirem de fazer o que é bom, apesar dos problemas e ansiedades que enfrentamos nos dias atuais. Ao passo que alguns problemas duram pouco tempo, outros persistem sem trégua, até mesmo aumentando em intensidade. Por isso, será fortalecedor considerar princípios bíblicos que nos ajudam a enfrentar esses problemas e ouvir relatos de pessoas que continuam se esforçando a fazer o que é bom. Um destaque da programação é o discurso com o tema: “O que vamos colher se não desanimarmos”.

Em 240 países, mais de 8 milhões Testemunhas de Jeová se reúnem em ocasiões como essa de excelente instrução baseada na Palavra de Deus, a Bíblia. No site oficial das Testemunhas de Jeová, o JW.ORG, você encontrará mais informações sobre esses eventos, além de vídeos e assuntos de interesse para toda família.                                                                                       

MOMENTO CULTURAL ACONTECE HOJE E AMANHÃ


Neste sábado (18), às 19h, na quadra coberta do SESC Garanhuns, acontece a abertura do 17º Momento Cultural do Colégio Santa Joana D´Arc, evento que a cada ano proporciona o melhor em termos de apresentações artísticas e conhecimento.
O Momento Cultural é cuidadosamente preparado, com envolvimento da coordenação pedagógica, professores e alunos de todas as séries do educandário garanhuense.
Este ano o Santa Joana D´Arc tem como tema Pernambuco, cantado como “mais que um Estado uma Nação”.
As apresentações de artes, incluindo dança e teatro, serão realizadas também amanhã (19), também no SESC, a partir das 15h.

Por conta do Momento Cultural, na segunda-feira não haverá aula no tradicional colégio garanhuense.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

ABREU DEIXA A SECRETARIA DE FINANÇAS DE GARANHUNS

José de Abreu, Secretário de Finanças do Município, entregou o cargo hoje ao prefeito Izaías Régis (PTB), segundo informou há pouco a Secretaria de Comunicação.

 “Durante todo o tempo que estive à frente da função, a desempenhei com responsabilidade e aproveito para agradecer a confiança que o senhor prefeito sempre teve com a minha pessoa”, escreveu Abreu, em sua carta de demissão.

O servidor da pasta está deixando a função para voltar à iniciativa privada. A portaria oficializando sua saída será publicada no Diário Oficial dos Municípios de Pernambuco até o final deste mês.

Abreu sempre foi uma pessoa de confiança de Izaías e assumiu o cargo no lugar de Evilson Rego, primeiro a ocupar a Secretaria de Finanças do atual Governo.


O setor de comunicação da Prefeitura não informou ainda quem irá assumir o cargo no lugar de José de Abreu.

*Foto: TV Replay.

ESCRITOR DE BREJÃO LANÇA LIVRO NA CAPITAL

César Monteiro, natural de Brejão, mas que estudou,  morou e trabalhou em Garanhuns, lança nesta sexta-feira, às 18h, no Espaço Pasárgada, no Recife, seu mais novo livro, “Poetécnico – Um poema para preta”, reunindo contos e poemas.

O lançamento, que conta com o apoio da Fundarpe e da Secretaria de Cultura do Estado, deverá ser prestigiado por garanhuenses, brejonenses, amantes da literatura em geral e intelectuais da capital e interior.

César integrou a Sociedade dos Poetas Vivos João Cabral de Melo Neto, que fez história em Garanhuns, no final dos anos 90 e início da década passada.  Ele é primo de Janduyh Bezerra, também natural de Brejão.


O empresário, diretor da JM Seguros, naturalmente está orgulhoso com o poeta da família, que realmente é um artista de valor.

ATÉ QUE CHEGAMOS A TEMER - E UM GOVERNO DE MENTIRA

Já tivemos todo tipo de governo no Brasil,  de Juscelino Kubitschek até os dias de hoje.

Juscelino foi um administrador de visão, que pensou em desenvolver o Brasil, fazer o país avançar e era um político de perfil democrático, possivelmente por que todos os cargos que conquistou – prefeito, governador, presidente – foi pelo voto popular.

Perseguido, caluniado, Juscelino era querido pelo povo e não voltou ao Planalto porque os militares que tomaram o poder em 1964 não deixaram.

Morreu num acidente de automóvel até hoje considerado suspeito.

Jânio foi uma miragem, um fanfarrão que tentou blefar com sua renúncia e ajudou a jogar o país nas trevas.

Com a saída de Jânio, João Goulart assumiu contra o desejo das forças conservadoras e dos militares.

Foi impedido de governar, como aconteceria mais de cinco décadas depois com Dilma, até que os tanques ocuparam as ruas e jogaram o Brasil durante 20 anos numa ditadura.

Castelo, Costa e Silva, Médici, Geisel,  Figueiredo.

Os presidentes do regime militar cumpriram papel semelhante, seguindo um mesmo modelo econômico, estabelecendo feroz censura, perseguindo lideranças políticas, sindicalistas e trabalhadores.

Cada um tinha seu estilo. O primeiro realizou a obra necessária para que a ditadura fosse longeva, o quarto não era só autoritário, tinha muito autoridade e mesmo responsável por atos de exceção, foi quem iniciou o processo de abertura.

O terceiro foi quem possibilitou a fase mais dura da repressão e enquanto ia sorridente aos estádios de futebol brasileiros sofriam torturas nos porões.

O último tinha um jeito mais franco e embora tenha dito uma vez que não gostava do cheiro de povo, parecia estar mais perto do cidadão comum que seus antecessores.

Mas sua gestão foi reprovada pela maioria, no seu tempo o povo já estava cansado do arbítrio e o João encerrou melancolicamente o ciclo de generais governantes.

Sarney foi medíocre, atrasado, incompetente, corruptor e acelerou o processo nefasto de assistencialismo no país.

Veio então Fernando Collor, um riquinho aventureiro, que inflado pela TV Globo chegou ao poder e quase transforma o Brasil num deserto.

Acabou derrubado pela própria arrogância e impetuosidade, ligado a roubalheiras e sem conseguir na economia os resultados apregoados.

Itamar era atrapalhado, mas,  muito mais honesto do que Collor e Sarney, começou a botar o país nos trilhos e terminou dando certo. No seu governo conseguimos melhorar em muitos setores, com a criação do plano real, avanços na educação e saúde.

Os acertos do governo Itamar permitiram que Fernando Henrique Cardoso se elegesse presidente.

Extremamente burguês, elitista (como bem o definiu uma vez a jornalista garanhuense e deputada federal Cristina Tavares), possibilitou que a economia continuasse bem, iniciou alguns programas sociais que tiveram continuidade nas gestões que vieram depois e avançou nos processos de privatização, alguns deles nitidamente criminosos e prejudiciais ao Brasil.

Lula foi o primeiro homem do povo a se eleger presidente em 500 anos de história. Avançou com alguns projetos sociais iniciados por FHC, criou universidades e escolas técnicas mais que todos os governantes anteriores, possibilitou a ascensão de pobres e miseráveis que eram invisíveis antes da chegada do PT ao poder e seus êxitos permitiram que fizesse o sucessor (a), a primeira mulher a se eleger para administrar os destinos do país.

O primeiro governo de Dilma Rousseff foi a continuidade da gestão de Lula, com programas voltados para a população mais pobre, o fortalecimento do Minha Casa, Minha Vida, do Luz para Todos, a criação do Mais Médicos e outros projetos voltados para os pobres, alguns deles sendo abertamente combatidos pelas tais “zelites”.

E aí chegamos a Temer, o mais corrupto, o mais medíocre e entreguista de todos.

Está literalmente vendendo o Brasil, entregando o patrimônio nacional a preço de banana, isso quando essa fruta custava pouco mesmo.

É um governo cínico,  de mentira, que faz reformas prejudicais ao país e ao seu povo e vende a ideia de que são indispensáveis. Não é preciso ser economista para saber que as tais medidas servem aos patrões, aos ricos, aos que já estão numa boa.

E os brasileiros, desencantados, descrentes, manipulados, como que sem forças para lutar, estão como que anestesiados.


Longe das ruas, sem poder de pressão, inertes, deixando que os hipócritas deitem e rolem, que a quadrilha governe, roube até a esperança e destrua o futuro das crianças e dos jovens.

*Foto: Reproduzida de Varela Notícias

COLÉGIO SANTA SOFIA PROMOVE FESTIVAL MULTICULTURAL


O Colégio Santa Sofia de Garanhuns promove no próximo de 24 de novembro a partir das 19 horas no auditório do colégio, o Festival Multicultural 2017, que contará com as participações dos estudantes do tradicional educandário da Rede Damas, seus professores e colaboradores, em apresentações de dança, canto, instrumental, teatro, recital de poemas consagrados e de própria autoria.


O evento conta ainda com o apoio da direção do CSS, supervisão e coordenação da escola, e têm como organizadores e idealizadores os professores Jandeilton Alexandre (Inglês), Élida & Morgana (Português) e Alexandra Leite (Ed. Física) criadora do evento. O show tem como objetivo desenvolver atividades de arte e cultura gerando e ampliando conhecimentos em música, dança, arte e outras categorias, estimulando o processo criativo dos nossos estudantes.