PALACE HOTEL

PALACE HOTEL
PALACE HOTEL - Clique na imagem

domingo, 25 de janeiro de 2015

TEKILLA´S PROMOVE FESTA E FAZ HOMENAGEM AO CAPOEIRENSE ROBERTO TENÓRIO DE SOUZA

Hélio Claudino, do Tekilla´s Bar, em Capoeiras, vai promover uma grande festa na cidade, no próximo mês de fevereiro. Será um evento fechado, espaço reservado para cerca de três mil pessoas. As atrações são o cantor Maciel Kuké e Val de Venturosa, acompanhado de banda. A procura está grande, tanto que 150 mesas já estão comercializadas.

HOMENAGEM - Durante a festa, numa iniciativa do próprio Hélio, será feita uma homenagem a Roberto Tenório, o boêmio seresteiro, irmão do ex-prefeito Nenen. “Roberto é uma lenda viva de Capoeiras”, comentou Claudino, feliz em poder homenagear o artista, autor de uma bela música sobre a feira livre do município.

Homenagem mais do que justa. Parabéns a Hélio Claudino pela iniciativa e a Roberto, que realmente é uma grande figura humana. Poderia viver em Recife ou em Garanhuns, ganhando muito dinheiro graças a sua habilidade em informática, mas não troca sua Capoeiras e uma boa seresta por nada neste mundo.
Roberto Tenório

DEBATE SOBRE JORNALISMO

O Canal Brasil exibiu um programa, hoje pela manhã, que foi um verdadeiro debate sobre o papel da imprensa no país. Participaram jornalistas conhecidos e respeitados, como o pernambucano Geneton Moraes Neto (editor do Fantástico) e o paulista Jânio de Freitas, da Folha de São Paulo. Os profissionais da área de comunicação criticaram o jornalismo partidário que tem disso praticado na grande imprensa e concordaram que os jornais impressos estão com os dias contados.

O FILHO DE LIBANÊS FERNANDO HADADAD

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, é filho de libanês e começou a vida como comerciante na Rua 25 de março, na capital paulista. Depois fez o curso de Direito, de Economia e Doutorado. Entrou na vida pública pelas mãos do ex-presidente Lula. Hoje administrando a maior cidade da América Latina, tem promovido medidas inovadoras e corajosas tentando mudar a face de metrópole. Mas não tem sido fácil, o petista sofre um boicote permanente da Grande Imprensa e tem minoria na Câmara de Vereadores. Recentemente conseguiu aprovar um projeto na área imobiliária com muita dificuldade, porque o PSDB votou contra. Segundo o prefeito nem o Sindicato das Empresas do ramo imobiliário foi tão conservador nas discussões quanto os tucanos.

Em dois anos de governo Haddad mudou o plano diretor de São Paulo, implantou ciclovias e corredores exclusivos de ônibus e pretende construir até o final da gestão perto de 60 mil moradias populares, através do projeto Minha Casa, Minha Vida.

Se disputar a reeleição vai enfrentar uma disputa difícil. Além da força do PSDB em São Paulo poderá ter contra si a ex-aliada Marta Suplicy.

LÍDERES POLÍTICOS LAMENTAM MORTE DE ALEX

Pernambuco perdeu neste final de semana um dos maiores nomes do jornalismo local e nacional: José de Souza Alencar, mais conhecido por Alex. Ele tinha 88 anos de idade e durante décadas  assinou a coluna social do Jornal do Commercio do Recife.

Alex não era um simples cronista social. Tinha gosto pelas artes, principalmente pelo cinema e pelaa pintura.

A morte do jornalista repercutiu em todo o Brasil e algumas personalidades públicas fizeram questão de expressar sua opinião sobre a perda sofrida pela Imprensa Pernambucana.

O Ministro do Desenvolvimento, Comércio e Indústria Armando Monteiro, enviou ao blog a seguinte nota:

O jornalismo e a vida cultural de Pernambuco perdem um de seus maiores expoentes. José de Souza Alencar, o Alex, foi testemunha e ao mesmo tempo um talentoso narrador dos fatos que marcaram a vida social, cultural e política de nosso Estado nas últimas décadas. 

Ele se destacou pela imensa capacidade de lançar um olhar diferenciado sobre os grandes fatos, mas sobretudo sobre os pequenos acontecimentos do cotidiano, aos quais emprestava uma abordagem sensível e de forte significado humanístico. 

É importante lembrar também de sua paixão pelo cinema e pela pintura, o que o tornou referência de crítico cultural para gerações de artistas e admiradores da arte. 

É por tudo isto que lamentamos esta perda para o jornalismo e para a sociedade pernambucana.

Também o governador do Estado, Paulo Câmara (PSB), expressou seus sentimentos pela morte de Alex:

“Perdemos uma referência do jornalismo pernambucano, em especial do segmento cultural e social. Alex teve uma trajetória longa e atuante, formando novas gerações e ajudando a construir páginas importantes da história da nossa Imprensa. No entanto, talvez o aspecto mais marcante de Alex, nos últimos anos, tenha sido sua determinação em continuar no batente, em continuar escrevendo, paixão que transformou em profissão. Eu e Ana Luíza nos solidarizamos com os amigos e admiradores de Alex.”

CAMELO CRITICA IZAÍAS E A LEGIÃO ESTRANGEIRA

Independente da quantidade de votos que consegue a cada eleição, o socialista Paulo Camelo (PSOL), permanece na luta política e repete como um refrão o seu discurso, criticando os burgueses e o que chama de Legião Estrangeira, grupo que a seu ver tem dado as cartas em Garanhuns. Apesar do volume de obras do atual Governo Municipal na cidade, Paulo é crítico em relação ao prefeito Izaías Régis e mais ainda quando fala sobre o senador - agora ministro - Armando Monteiro. Ele critica ainda outros prefeitos que administraram Garanhuns, como Ivo Amaral, Bartolomeu Quidute, José Inácio Rodrigue, Luiz Carlos e Silvino Duarte.

A ENTREVISTA

JORNAL CIDADE: Qual o efeito da ausência de um líder e como anda a política hoje aqui?

Paulo Camelo: Olha,  A nossa cidade carece de uma representação política a altura do nosso potencial e da nossa história. É público e notório  que os últimos governantes e o atual, prefeito Izaías Régis, não se deram aos meios de formarem novos quadros político  em nossa cidade. Os ex-prefeitos José Inácio, Ivo Amaral, Bartolomeu Quidute, Silvino Duarte e Luiz Carlos, não preparam novos políticos para manterem aceso  os seus grupos de sustentação política. O prefeito atual, Izaías Régis, caminha no mesmo ritmo.

JORNAL CIDADE: E quais foram esses líderes “Burgueses” do nosso município?
Paulo Camelo: O ex-deputado estadual Elpídio Branco, o ex-vice-prefeito Abdias Branco, o ex-prefeito e ex-deputado estadual Francisco Figueira (maior exportador,  na década de 1950, de café do Nordeste) e o empresário Vavá Moraes. Podemos também admitir que o ex-deputado federal José Tinoco, era também um Líder Burguês.

JORNAL CIDADE:  Você não acha que Armando Monteiro, tem contribuído com o desenvolvi-mento da cidade?

Não. O ministro Armando Monteiro, foi  Presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria) e   sequer trouxe uma fábrica de pipoca para Garanhuns. Sendo membro  nato da Legião Estrangeira, ele procura dominar e ocupar a cidade em pontos estratégicos, assim como os romanos faziam na época do Império Romano. Os Centros de Saúde, o SENAI, a outrora Escola de Música, a ACIG (ou ACIAGAM) se localizam em pontos privilegiados para ações políticas. Além da atividade improdutiva, eventualmente realizada pelo ministro Armando Monteiro,  denominada de AÇÃO GLOBAL.

JORNAL CIDADE: Então na sua concepção, Izaías deve fazer   um bom governo?

Paulo Camelo: Sim. Devemos torcer não só para que Izaías faça um bom governo, como também para que o PSOL, a partir de  janeiro de 2017,  faça melhor. Não podemos  torcer quanto pior,  melhor para a oposição.  Além do mais nem precisamos disso, uma vez que  temos Propostas em demasia.

JORNAL CIDADE: Mas, e as obras que estão por vir, como a Reforma da Avenida Santo Antônio, não vai provocar o desenvolvimento?
Paulo Camelo: Evidentemente que a Reforma da Praça localizada na Avenida Santo Antônio, não é suficiente  para alavancar o desenvolvimento da cidade e muito menos a mobilidade urbana. Independente da bela arquitetura do Projeto de Reforma,  o mesmo traz  em seu conteúdo um erro grave, o qual consiste em excluir do Espaço Luiz Jardim, o trabalho em  alto relevo do artista plástico garanhuense, Armando Rocha, já falecido, “transferindo  o seu trabalho”  para o muro do Mosteiro de São Bento. Ora, essa é uma idéia mágica da Legião Estrangeira, a qual está sendo   capaz de promover um absurdo dessa natureza. Pois o trabalho artístico terá que  ser reproduzido por um  outro artista plástico, e nunca o verdadeiro Armando Rocha, já falecido.  Portanto, trata-se de maquiar a cidade e esconder  nosso  Patrimônio Cultural e Artístico, o Armando Rocha.

JORNAL CIDADE: Mas, a Outorga Onerosa relativa  ao  Plano Diretor, aprovada  pelo governo Izaías e pela Câmara dos Vereadores, o que você diz:
Paulo Camelo: O Plano Diretor,  em vigor,  não permite a construção de edificações com mais de três andares. A Outorga Onerosa, burla o Plano Diretor, ao permitir,  mediante pagamento de tarifa progressiva,  que se construa edificações com mais de três andares.  Na prática o governo mágico de Izaías Régis, com apoio dos membros da Legião  Estrangeira, passa a vender o “espaço”  para aumentar sua arrecadação.

JORNAL CIDADE: Você é candidato a Prefeito em 2016?

Paulo Camelo: Está  muito cedo para definirmos alguns nomes para participarem das eleições de 2016. Mas, em primeiro lugar  o PSOL deve apresentar um bom Programa de Governo que atenda as reais necessidades da nossa população. Em segundo lugar, temos que convencer aos demais  partidos políticos que devemos transformar a eleição num plebiscito, ou seja, com apenas dois candidatos, situação e oposição, sem a ingerência de políticos de outras cidades. Em terceiro lugar, nós garanhuenses  precisamos   acordar  de um sono muito longo, afinal quando terminar o mandato de Izaías Régis, em 2016, vai completar 40 anos que Garanhuns elegeu  seu  último  Prefeito natural  da nossa  cidade, Amílcar da Mota Valença.  Portanto, virou uma brincadeira ser Prefeito de Garanhuns.

JORNAL CIDADE:  O que falta mais para Garanhuns?
Paulo Camelo: Todo governo municipal precisa ter acesso ao governo do Estado, no caso o  de Pernambuco. Desde o governo Jarbas Vasconcelos, incluindo Eduardo Campos e agora Paulo Câmara, que Garanhuns não tem acesso  ao governador do Estado. Portanto, quando terminar o mandato do prefeito Izaías Régis, vais completar  20 anos que Garanhuns não tem acesso ao governo do Estado de Pernambuco. Some-se a isso tudo, os 8 anos perdidos no governo Lula, isto é, sem reivindicação apresentada, sendo que os ex-prefeitos  Silvino Duarte (de Princesa Izabel/PB) e Luiz Carlos (de Calçados/PE),  perderam 2 e 6 anos, respectivamente. AGORA DURMA COM ESSA BRONCA.

JORNAL CIDADE: Porque esses Estrangeiros mandam aqui?
Paulo Camelo: Em primeiro lugar, devido  a ausência de Lideres Burgueses, bem como de  Lideres  de Esquerda com mandato eletivo. Em segundo lugar, em função  da perda da população nativa. Ou melhor, Garanhuns perdeu sua população nativa e está sendo repovoada por pessoas de outras cidades, as quais em sua maioria não vestiram a camisa da nossa cidade. Daí, se explica  parte da votação exagerada que é dada  aos candidatos ao parlamento, oriundos  de outras cidades.

Jornal Cidade: Mas, o prefeito, está pavimentando Ruas, instalou o Planetário no Parque Euclides Dourado e está mudando a cara da nossa cidade, dentre outras promessas que estão por vir?

Paulo Camelo: O primeiro aspecto consiste em dizer: Todo governo herda o bônus e o ônus da administração anterior. O governo Izaías Régis, deveria informar quais foram os Projetos e Obras, além dos  Trabalhos Sociais, os quais foram herdados do governo do ex-prefeito Luiz Carlos. Igualmente deveria informar os recursos do governo do Estado de PE, especialmente os que foram oriundos do FEM (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Municipal)  e os serviços executados.

O segundo aspecto a considerar  consiste em afirmar  que pavimentar Ruas é uma obrigação dos governantes, especialmente  quando  decidem  priorizar   a qualidade dos serviços e implantar  o saneamento  básico seja individual ou coletivo. Assim, o governo Izaías Régis, está carente  nos seguintes  itens: qualidade dos serviços; implantação do saneamento básico;  aspecto ambiental.

Quanto ao Planetário instalado no Parque Euclides Dourado, trata-se apenas de uma miniatura do Globo Terrestre. Num possível governo do PSOL, devemos   procurar  instalar  um equipamento urbano, tipo o Planetário existente no Parque do Ibirapuera em São Paulo e do localizado em Brasília, próximo do Estádio Nacional de Brasília, o Mané Garrincha. Aproveito a ocasião para agradecer a você Robson e a todos que fazem o Jornal Cidade, por essa oportuni-dade  em expor  o nosso pensamento  e contribuir   com a preservação da democracia.

A FALTA D´ÁGUA NA REGIÃO DO AGRESTE

De um morador de São João:

CARO ROBERTO, 

VENHO LHE IMPORTUNAR, NOVAMENTE, COM UMA NOTÍCIA VELHA, MAS QUE NOS AFETA POR DEMAIS. SÃO JOÃO, NOVAMENTE ESTÁ SOFRENDO COM FALTA DO PRECIOSO LÍQUIDO. UM FUNCIONÁRIO GRAÚDO DA COMPESA ME ESCLARECEU INFORMALMENTE, QUE O PROBLEMA É QUE QUANDO A BOMBA NOVA DÁ DEFEITO, A RESERVA NÃO CONSEGUE SUPRIR A DEMANDA, E OS CLIENTES DA COMPESA QUE SE EXPLODAM SEM ÁGUA E SEM UMA EXPLICAÇÃO, PARECEM MAIS COM GERALDO ALCKMIN COM AQUELA CARA DE PAU EM MEIO AO CAOS.

Neste sábado choveu em diversos municípios da região. Ainda não dá para saber se deu para aliviar. Além de São João, sofrem com a escassez de água municípios como Iati, Lajedo, Capoeiras, Caetés e São Bento do Una. Quem mora na região e sente os efeitos da estiagem, da fala d´água, pode comunicar ao blog que a gente divulga. Cabe aos governos tentarem amenizar esse drama.

sábado, 24 de janeiro de 2015

NAMORADA DE ROMÁRIO ROUBA A CENA

A cantora americana Dixie Pratt, de apenas 19 aninhos. Virou celebridade no Brasil. Tudo porque está namorando o ex-jogador e atual senador Romário (PSB/RJ). Imagina que a menina foi parar na coluna do conhecido jornalista Ancelmo Gois, que celebrou a beleza da artista e deixou claro que a moça está “roubando a cena”. Os jornalistas e paparazzi estariam mais interessados nela do que nele. Também olha os atributos da Dixie aí na foto acima.

MARANO VIRA TRIBUNA CONTRA O GOVERNO

O programa “Arraiá de Gláucio Costa”, na Rádio Marano, está se transformando numa grande tribuna de oposição ao Governo de Izaías Régis (PTB). Em tudo o cantor e apresentador vê motivo de uma crítica à atual gestão municipal. Até mesmo os coletores (containers) de lixo, espalhados pela cidade para evitar que a população coloque sacos de sujeira nas ruas já foram motivos de reclamação de Gláucio. O prefeito garante que as críticas não incomodam e até ajudam, por sugerir caminhos para a administração. 

Quanto a Gláucio Costa a pergunta que se faz é a seguinte: será que ele está querendo entrar na política no próximo ano?

FBC COMPARECE ATÉ A ANIVERSÁRIO DE BONECA

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) está em todas. Veio a posse da diretoria da CODEAM em Garanhuns, fez visita a Usina Pumaty, recebeu líderes do Partido da Sustentabilidade, de Marina Silva... Falam por aí que FBC não está perdendo nem aniversário de boneca. O Governo de Paulo Câmara ainda nem começou direito e muita gente está convencida de que o senador é candidatíssimo ao governo, na próxima eleição estadual. Armando Monteiro (PTB), que também resolveu ocupar a cena política, esta semana, esteve na Fábrica da Fiat, em Goiana. Mas o petebista assiste ao entrevero socialista de camarote... (Na foto Fernando Bezerra na campanha do ano passado).

GANDHI, A GRANDE ALMA

Gandhi foi, talvez, o maior líder político do século XX.

E não era propriamente um político, não desses que estamos acostumados a ver no Brasil e no Mundo, ao longo da História.

Era um político no sentido amplo de que fala Aristóteles, porque lutou pela libertação de um povo e conseguiu muitas vitórias e conquistas em 80 anos de vida.

Mas era também um pensador, um filósofo, um religioso. Ao contrário de Lênin, que liderou uma revolução violenta na Rússia e de outros líderes mundiais que pegaram em armas para derrotar uma tirania, o advogado indiano pregou sempre a paz e conseguiu a independência do seu país usando a estratégia da não violência.

É quase impossível não identificar algumas posições de Gandhi com as de Jesus Cristo. Acontece que o personagem do Século XX está pertinho de nós, temos imagens e registros de sua caminhada, seus discursos, seus pensamentos filosóficos escritos pelo próprio e não por evangelistas.

Há muito de santo no personagem, embora ele não tenha andado sobre as águas nem multiplicado o pão.

E a índia, ainda hoje, é um país castigado pela pobreza.

FILME - A vida de Gandhi está contada em dezenas, talvez centenas de livros e no filme que traz o seu nome, dirigido pelo inglês Richard Attenbogough. O cineasta não precisava ter realizado nenhum outro trabalho para o cinema, pois o longa que dirigiu, com o ator Ben Kingsley no papel do líder hindu é perfeito, vencedor com méritos de 9 Oscar em 1983.

Abaixo duas frases que sintetizam bem o pensamento de Maohandas Karamchand Gandhi, que ficou mais conhecido pelo seu povo como Mahatama (grande alma ou grande espírito) Gandhi.

“As religiões são caminhos diferentes convergindo para o mesmo ponto. Que importância faz se seguimos por caminhos diferentes, desde que alcancemos o mesmo objetivo?

“A não-violência e a covardia não combinam. Posso imaginar um homem armado até os dentes que no fundo é um covarde. A posse de armas insinua um elemento de medo, se não mesmo de covardia. Mas a verdadeira não-violência é uma impossibilidade sem a posse de um destemor inflexível.

A LITERATURA DO AMERICANO HEMINGWAY

Os Estados Unidos tiveram ao longo do século passado uma produção literária capaz  de impressionar a crítica mundial. Entre os grandes escritores americanos do Século XX estão John Steinbeck (As Vinha da Ira), Sinclair Lewis, William Faulkner, Saul Bellow e Toni Morrisson, Francis Scott Fitzgerald e J.D. Salinger.

Temos ainda,  na poesia, a força de Ezra Pound, a erudição e acuidade sonora dos versos de T.S. Eliot , o antissimbolismo de William Carlos Williams e a inquietude de Allen Ginsberg, ícone da geração Beat. No teatro, Tennessee Williams e Arthur Miller.

Um dos escritores americanos mais populares, com uma obra conhecida na maioria dos países do mundo, foi Ernest Hemingway, autor de O Velho e o Mar, Por Quem os Sinos Dobram, Paris é uma Festa, O Sol também se Levanta, Adeus às Armas e outras obras primas da Literatura Universal.

Muitos dos livros de Hemingway foram levados ao cinema, como "Por quem os Sinos Dobram" e "O Velho e o Mar", que resultaram em excelentes filmes.

A própria vida do escritor, vencedor do Nobel de Literatura nos anos 50, é cheia de lances dignos de um romance, como está um pouco no filme “Hemingway & Gellhorn”, com Clive Owen e Nicole Kidman. O longa mostra um dos muito envolvimentos amorosos da vida do escritor.

Ernest Hemingway casou quatro vezes e teve muitos outros casos. Gostava de mulheres e de farras. Apesar de ter nascido nos Estados Unidos viveu na Espanha, na época da Guerra Civil daquele país, morou em Paris e em Cuba, antes da chegada dos comunistas do poder.

O americano tinha sede pela vida e desejos de morte. Acabou, em 1961, repetindo o gesto do pai e se suicidou, numa fase angustiada pelas doenças e problemas financeiros. Talvez tenha contribuído mais ainda para esse fim trágico o gesto de Grace, sua mãe, considerada dominadora, que enviou a Ernest a arma com que o pai se matou.

Um dos livros mais populares do escritor americano é “O Velho e o Mar”, publicado em 1952. Com este volume, de poucas páginas, o autor ganharia os principais prêmios literário da América e da Europa e em 1954 receberia O Nobel de Literatura pelo conjunto da obra.

Último grande livro de Hemingway publicado em vida, “O Velho e o Mar” conta a história de Santiago, um pescador que luta em alto mar, em condições adversas, para capturar um gigante espadarte. Nas mãos de um escritor medíocre poderia ser um livro enfadonho e comum, mas a habilidade e o talento do  americano transformam o romance numa obra tão gigantesca quanto o peixe, merecendo ser lida e relida.

A vida trágica de Ernest Hemingway, seus melhores romances, com certeza cravaram para sempre seu nome na história, como uma grande figura humana e um dos melhores escritores da Literatura Universal de todos os tempos.
Nenhum dos americanos citados neste artigo talvez tenham sido tão vocacionados para a literatura quanto os russos Tolstói e Dostoiévski, o que não significa que não foram importantes ou grandes escritores. “O Velho e o Mar”, mesmo sem a densidade de “Guerra e Paz ou “Crime e Castigo é um livro excepcional, que não deixa dúvida sobre a capacidade do autor, um nome de destaque numa nação de muitos autores com talento acima da média.

A MARCA DA INSENSATEZ

 por Luis Nassif, no GGN

O ano não promete ser fácil.Na política econômica, o pacote de maldades do Ministro da Fazenda Joaquim Levy impactará a atividade econômica e o emprego. O realinhamento de tarifas afetará os preços. Quando vier para valer, a falta de água em São Paulo, criará um clima insuportável. A Lava Jato manterá elevada a temperatura política e afetará a produção industrial e as obras de infraestrutura.

*****
Por tudo isso, só pode se entender como marcha da insensatez o apoio incondicional dado pelos grupos de mídia à candidatura de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) à presidência da Câmara. Para a mídia, Cunha tornou-se um novo sir Galahad, em substituição ao pio ex-senador Demóstenes Torres.

Por várias razões, é uma jogada de alto risco.

Do lado político, por ser um fator a mais de ingovernabilidade.

Do lado ético, por desnudar de forma implacável os chamados princípios morais da mídia. Veja aliou-se ao bicheiro Carlinhos Cachoeira; alçou o ex-senador Demóstenes Torres à condição de paladino da moral e dos bons costumes; blindou todas as estripulias do Ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal); escondeu todos os malfeitos de José Serra.

Mas todos esses episódios foram cometidos nos bastidores.

*****

Mas, Eduardo Cunha?! Cunha começou sua vida pública aliado de PC Farias, e foi processado como tal. Depois, assumiu um cargo na companhia habitacional do Rio, no governo Garotinho, e foi acusado de desvios. Teve envolvimento direto com uma quadrilha que fraudava ICMS em distribuidoras de gasolina.

Na Câmara, seu trabalho diuturno foi articular lobbies de grandes grupos. Nas últimas eleições, financiou a candidatura de dezenas de deputados, com recursos repassados por grupos econômicos com a finalidade única de fazer negócios.

Cunha é a definição impura e acabada do parlamentar negocista – aquele contra quem o moralismo da mídia deblatera dia e noite.

*****
E o que se pretende com esse apoio? Apenas o desgaste do governo. O governo Dilma não precisa de ajuda para se desgastar: sabe se desgastar sem a ajuda de ninguém.

No campo dos negócios, os grupos de mídia nada conseguirão, apenas piorar mais ainda o mercado publicitário.

O governo Dilma já mostrou que não retalia críticos com cortes de publicidade; mas também não cede a chantagens nem entra em negociatas.

Pode ser que pretendam, através do Congresso, barrar a entrada dos grandes competidores estrangeiros, aprovar leis que reduzam a obrigatoriedade de capital nacional na mídia, conquistar outra anistia fiscal para suas dívidas.

Não conseguirão. De um lado, porque a Câmara não faz política econômica. De outro, porque acumularam tal quantidade de inimigos com o estilo metralhadora giratória que jamais conseguirão montar uma frente pró-mídia.
Frente anti-PT e anti-governo é simples de montar. Pró-mídia, ainda mais em uma fase de crise econômica, impossível.

*****
O que e conseguirá com o fator Eduardo Cunha será uma pitada a mais de desmoralização da mídia, mais insegurança econômica – revertendo em menos publicidade – e a confirmação de que jornais não foram feitos para pensar estrategicamente: eles sabem apenas “causar”.

IGREJA CENTRAL REALIZA CULTO PELOS 115 ANOS


Foi realizado na noite de quinta-feira passada (22), na Igreja Presbiteriana Central de Garanhuns (IPGC) um Culto de Gratidão pelos 115 anos de Fundação.

O momento contou com a participação de parte dos membros da Igreja, presbíteros e diáconos, bem como com integrantes dos departamentos que formam a Igreja. O pastor Inaldo Cordeiro Peixoto conduziu o Culto e evidenciou na pregação da noite, a importância e o compromisso de levar a Palavra de Deus ao mundo. A pregação foi baseada no Livro de Mateus 5, 13-14, que evidencia “Os discípulos são o sal da terra e a luz do mundo”.

Após o Culto os membros se confraternizaram em um jantar. A programação de aniversário da Igreja Presbiteriana Central de Garanhuns se estenderá por todo o ano com eventos pontuais que contemplarão todos os departamentos da Igreja.

O momento maior será nos dias 21 e 22 de março, quando acontecerá a celebração do aniversário da Igreja, com a participação do Coral Semírames Bezerra, Grupo Voz e Melodia e do Rev. Sérgio Vitalino – Pastor da Igreja Presbiteriana de Boa Viagem (Recife).

História

A Igreja Presbiteriana Central de Garanhuns foi idealizada pelo missionário e médico norte-americano George William Butler - natural da Georgia (EUA). Casado com Humphrey Butler, estudou medicina em Baltimore (EUA) e chegou ao Brasil em 1883. Em 1894, passou a morar em Garanhuns, onde trabalhava como missionário presbiteriano e médico, já que nessa época houve uma epidemia de febre amarela na cidade.

Em 1895, ele fundou a Igreja Presbiteriana Central de Garanhuns. Neste ano, em Garanhuns, foram batizados os primeiros conversos protestantes presbiterianos. Um deles foi o Reverendo Jerônimo Gueiros, educador e jornalista.

A Igreja Presbiteriana Central de Garanhuns foi oficialmente organizada em 22 de janeiro de 1900. Seu primeiro pastor foi o Rev. Martinho de Oliveira. Desde 1998, a igreja tem como Pastor, o Rev. Inaldo Cordeiro Peixoto. 

Texto: Jacqueline Menezes
Foto: Halison Rodrigues Leite

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

ERRO MÉDICO PROVOCA PROTESTO

A Associação das Vítimas de Erro Médico (ASVEM/PE), em respeito aos familiares de vitimados, promove na próxima terça-feira (27) um ato para cobrar empenho na apuração de casos de erro médico denunciados e sem soluções. O encontro acontece a partir das 15h, em frente ao Cremepe. Na ocasião, serão disponibilizadas cartilhas informativas e orientações legais e preventivas aos erros médicos.

A ASVEM/PE foi criada em outubro de 2013 com o objetivo de sensibilizar a população e chamar a atenção sobre a importância de denunciar e acionar a justiça em casos de erro médico. A organização foi fundada por três irmãs da engenheira elétrica e agrônoma e funcionária da Chesf, Urbânia de Barros Carvalho Melo. Urbânia, de 47 anos, mãe de dois filhos, morreu no dia 12 de outubro de 2013, depois de ter o intestino perfurado durante cirurgia para retirada de um mioma e quadro clínico agravado após internamento de mais de 60 dias em hospital do Recife.

Segundo Urbanira Carvalho, uma das irmãs de Urbânia, “após uma histerectomia a minha irmã queixou-se de muitas dores e foi diagnosticada como gases, quando se tratava de perfuração do intestino. A sindicância para apuração do caso encontra-se no Cremepe, desde 13 de novembro de 2013, tendo cinco sindicantes nomeados para apuração, mas nenhum deles conseguiu elucidar os fatos. É um grande descaso e desrespeito à vida humana!”, lamenta. (Silvana Victor)

A VIA CRUCIS DE PAULO CÂMARA

Magno Martins escreveu um comentário hoje, no seu blog, fazendo comparações entre Eduardo Campos e seu pupilo Paulo Câmara. Lembrou que o líder socialista, que morreu tragicamente, tinha um estilo aguerrido e nas maiores crises crescia, assumindo a linha de frente. O atual, governador, na visão do jornalista da capital, está enfrentando os desencontros do início da gestão de modo muito cauteloso, ouvindo muito a equipe para tomar decisões.

Na verdade não está fácil e o início não é promissor. Paulo já sentou na cadeira de governador praticamente brigado com dois aliados importantes: Fernando Bezerra Coelho e João Lyra.

Aí começa a administrar e a violência explode em todo Estado, com homicídios um atrás do outro. E as penitenciárias de Pernambuco viraram um “barril de pólvora”.

A oposição, que parecia morna resolveu botar "as unhas de fora". Os líderes Silvio Costa e Álvaro Porto partiram com tudo pra cima do governador, que parece meio atordoado.

É preciso que Paulo Câmara se recupere logo e mostre que tem liderança e comando. Se isso não acontecer, os pernambucanos vão imaginar que cometeram um erro ao eleger uma pessoa sem experiência para o Governo, levados pela comoção que se seguiu a morte de Eduardo Campos.

Mas, como foi escrito no começo deste artigo, tem muito tempo pela frente e o socialista ainda pode cravar seu nome na história, como fez seu mentor, Eduardo Campos.