segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

IZAÍAS CANCELA VIAGEM A BRASÍLIA PARA SE SOLIDARIZAR COM O EX-PREFEITO DE TEREZINHA, ALEXANDRE MARTINS

O Governo Municipal de Garanhuns, por meio do Gabinete do Prefeito, vem a público manifestar as suas condolências e profundo pesar pela morte do jovem Andrey Martins, filho do ex-prefeito de Terezinha, Alexandre Martins.

O prefeito Izaías Régis seguia hoje (19) para a capital federal, onde teria reuniões pré agendadas para esta semana, mas acabou de desmarcar todos esses compromissos para poder acompanhar o amigo e correligionário, bem como a sua família, neste momento de profunda dor.

A primeira-dama Socorro Régis, vem acompanhando de perto a família de Andrey. Ontem, inclusive, quando voltava do Recife, passou por Caruaru e ficou junto  a Alexandre e sua esposa Valquíria, manifestando solidariedade e rezando pelo restabelecimento da saúde de Andrey, o que infelizmente, não ocorreu.


O prefeito Izaías Régis, está voltando  agora do Recife, para acompanhar o velório e sepultamento. O nosso pedido é que Deus traga o conforto a esta família, diante da trágica notícia e precoce partida para a morada eterna do jovem Andrey Martins. (Jornalista Jacqueline Menezes).

JOÃO CAMPOS PRESTIGIA DESFILE DAS PIRIGUETES

O Desfile das Piriguetes, neste sábado e domingo (17 e 18), na Vila do Quartel, foi considerado o maior sucesso.

Idealizador do evento, o ex-vereador Sivaldo Albino enviou à imprensa local um texto de agradecimento a todos que colaboraram com a festa, dos patrocinadores aos moradores do bairro de Garanhuns que prestigiaram a Ressaca de Carnaval.

Além da participação dos populares, foram registradas também as presenças de alguns políticos de Garanhuns, da região e do Estado.

Podemos citar os nomes do ex-prefeito de Brejão, Sandoval Cadengue, do prefeito de São João, Genaldi Zumba, do vereador garanhuense Tonho de Belo e do chefe de gabinete do governador Paulo Câmara, João Campos.


Caso Sivaldo dispute o mandato de deputado, este ano, deverá fazer dobradinha com o filho do saudoso governador Eduardo Campos, que será candidato a federal.
Genaldi, João, Sivaldo e Tonho de Belo

ANUN DE OURO

No último dia 12 de fevereiro alguns garanhuenses lembraram de Dominguinhos, pois esta foi a data de nascimento do ilustre compositor, cantor e sanfoneiro, que nasceu na terra das sete colinas.

Givaldo Calado de Freitas reverenciou a memória do músico com uma de suas crônicas, que publicamos agora:

Esse cenário não deleto nunca da minha mente. Ao invés, revivo-o  quase sempre. E deletar, não me seria dado fazê-lo.

De qualquer maneira, lá estaria eu, de novo, naquela mesma noite, e naquela mesma Esplanada, com aquele  mesmo público de milhares, empunhando, decidido e, honrosamente, a passar às mãos do maior talento musical, o maior de todos, da história centenária de Garanhuns o seu maior... Maior troféu - “Anun de Ouro”.

A maior emoção da minha vida - disse-o, já, já, fecha 10 anos. Ah! Meu Deus, parece que foi ontem. E ela não sai de mim. E, impregnada. Ela se reinventa. Ela se reoxigeniza. E renasce. A cada fevereiro. E renasce. A cada julho. Mais forte. Mais densa. Como que a cobrar de seu “aconchego” as honras e aplausos que não lhe saciaram. Posto que, muitas.

É...Talvez essa emoção nunca saia de mim, até porque de mim e de milhares, daqui, a profissão de nossa fé foi no sentido de cuidarmos e de zelarmos por sua memória.
Parabéns, Domingos, neste seu dia. Parabéns pelos seus 77 anos. Você vive, eternamente, na memória de todos nós.

*Givaldo Calado é figura pública importante de Garanhuns e empresário.

TRISTEZA EM TEREZINHA COM A MORTE DO ÚNICO FILHO DO EX-PREFEITO ALEXANDRE MARTINS. ANDREY TINHA 15 ANOS

Alexandre Martins, ex-prefeito de Terezinha, perdeu seu único filho, Andrey, de apenas 15 anos.

O atual prefeito daquele município, Mateus Martins, é tio do adolescente.

Segundo informa Edileuza Emilia de Santana, a cidade está em comoção, Alexandre, Mateus e Terezinha inteira estão de luto.

Wando Pontes, de Caetés, registrou esta mensagem sobre o triste fato:

Meu amigo Alexandre, ex-prefeito de Terezinha, perde seu filho único de 15 anos. 

Neste momento com profunda tristeza me solidarizo à família enlutada. 


Não há dor maior para um pai e uma mãe. 


Andrey, tinha 15 anos, uma infecção intestinal e um edema cerebral foram as causas. Passou mal no carnaval, depois de comer um salgadinho e um refrigerante, teve uma infecção intestinal, desmaiou, entrou em coma, edema cerebral e infelizmente faleceu.

O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL É SUPERLATIVO EM TUDO

O Supremo Tribunal Federal é mesmo o máximo.

A instância superior do Judiciário brasileiro tem apenas 11 ministros, mas a quantidade de servidores e recursos consumidos supera os números de muitas prefeituras de pequeno porte, como Capoeiras, Caetés, Angelim, São João, talvez até mesmo Lajedo.

O STF, entre funcionários efetivos, estagiários e contratados consegue somar em torno de 2.500 trabalhadores (?). 

Dá mais de 200 servidores para cada ministro. 

São quase 20 jornalistas, cinco publicitários, meia centena de motoristas, três dezenas de copeiras, vigilantes, secretárias... É gente que não acaba mais. Todos bem remunerados, pois afinal se trata do Supremo.

Os números superlativos dos gastos do STF foram revelados recentemente pelo professor Marco Antônio Villa, na Rádio Jovem Pan de São Paulo.

Antes que alguém imagine se tratar de uma denúncia feita por algum esquerdista, esclareçamos que Marco Antônio Villa é um destacado intelectual da direita brasileira.


Assista o vídeo e veja que beleza de Supremo:

*Foto: Cristalvox

domingo, 18 de fevereiro de 2018

UPAE APOIA PROPOSTA DE PASSARELA NA BR-433

A Fundação Professor Martiniano Fernandes - IMIP Hospitalar, gestora da UPAE Garanhuns, enviou ofício ao vereador Audálio Ramos Machado Filho, em Garanhuns, agradecendo a preocupação da edilidade do município, que solicitou ao DNIT, a instalação de uma passarela para pedestres na Rodovia BR 423, de frente à Unidade de Saúde.

O Coordenador Geral da UPAE Garanhuns, Gustavo Caldas Amorim, endossou o pedido, ratificando a necessidade de oferecer mais segurança à população que procura os serviços médicos da instituição, que atende pacientes de 21 municípios da região, e que está localizada às margens da rodovia federal. "Em nossas pesquisas internas, um dos pontos de reclamação recorrente é a dificuldade de travessia desta rodovia, e como sugestão, a população pede justamente a instalação de uma passarela, que é justamente o pedido do vereador garanhuense". Afirma o gestor da unidade.

Gustavo Amorim lembra ainda que parte dos usuários da UPAE é formada por pessoas com dificuldades de locomoção (idosos, portadores de deficiência, crianças de colo, enfermos, etc). Além disso, uma passarela atenderia uma parcela significativa dos moradores do bairro Dom Helder Câmara, que atravessa a rodovia cotidianamente, e em um ponto com registros de acidentes.


A UPAE Garanhuns, além do documento ao vereador Audálio Filho, enviou também ofício ao DNIT, endossando o pedido do representante garanhuense. (Ronaldo César/Vox Comunicação).

PREFEITURA DE CAETÉS DIVULGA NOTA DE PESAR

Sobre o acidente de ontem (17) na BR 424 que vitimou fatalmente o comerciante Veranildo da Silva Gomes, o Lola, e a estudante Thaís Cleonice da Silva, e que envolveu um ônibus do Programa Caminho da Escola, da Prefeitura de Caetés, no momento em que alguns veículos da frota municipal se dirigiam à Garanhuns para instalação de equipamentos, por recomendação do CONTRAN – Conselho Nacional de Trânsito- o prefeito Armando Duarte e a secretária municipal de educação, Soraya Cristina, divulgaram nota de pesar pelo grave fato ocorrido em Caetés, envolvendo seus munícipes. Diz o texto:

Nós que fazemos a Prefeitura Municipal de Caetés e a Secretaria Municipal de Educação, sempre primamos pela oferta dos melhores serviços aos nossos estudantes, realizando revisões periódicas em nossa frota, como no caso do dia de ontem, quando vários ônibus foram à Garanhuns para instalar equipamentos de segurança, viemos de público externar a nossa solidariedade para com as famílias que perderam seus entes queridos no trágico acidente da tarde de ontem. Rogamos a Deus que conforte a todos e que receba no Céu os que partiram deste mundo.

Armando Duarte, Prefeito.
Soraya Almeida, Secretária de educação.

        

CARLOS BATATA PODE DISPUTAR MANDATO DE FEDERAL

Com a possível candidatura do ministro Mendonça Filho a governador ou senador, na eleição deste ano, o médico veterinário Carlos Batata (DEM) está disposto a tentar retomar o seu mandato de deputado federal.

O ex-parlamentar já está se articulando e caso dispute a vaga na Câmara Federal terá o apoio de alguns prefeitos do interior, ex-prefeitos, vereadores e ex-vereadores.

Caso Mendonça dispute um cargo majoritário, possivelmente Batata herdará algumas bases do ministro, que sempre foi apoiado em vários municípios do Agreste.

Antônio Carlos Vieira começou sua vida política em Capoeiras, em 1988, quando derrotou um ex-prefeito que era considerado favorito por mais de mil votos de diferença.

Em 1994 ele se elegeu deputado estadual ficando entre os mais votados do Estado. Exerceu em seguida dois mandatos de deputado federal, além de contribuir decisivamente com a eleição dos prefeitos de Capoeiras em 1992 (Zezinho Borrego), Aluízio Cabral (1996) e Dudu (2008).

Sem nenhum cargo público desde 2002, Carlos Batata disputou a prefeitura de Capoeiras em 2016, perdendo para Neide Reino. Obteve, no entanto,  em torno de 5.500 votos, na prática recuperando seu capital político, quando muitos achavam que ele seria derrotado facilmente.

Antônio Carlos nasceu em Garanhuns.  Na infância morava na Avenida Dantas Barreto e estudava no Colégio Diocesano.

Depois de morar no Recife e em Brasília, Batata voltou a ter residência em Garanhuns desde 2015, no bairro de Heliópolis.

Aqui no município, ele fará dobradinha com Damásio, que deve disputar o mandato de deputado estadual, e terá o apoio de Dra. Claudomira Andrade, que apoiará à Assembleia Legislativa a candidatura de Priscila Krause (DEM).

O democrata terá também o apoio de lideranças de Caetés, Terezinha (possivelmente o ex-prefeito Ezaú Gomes ficará ao seu lado), de Brejão,  Bom Conselho e outros municípios do Agreste.

O ex-deputado disse ao blog que voltando à Câmara irá defender Garanhuns e a região do Agreste Meridional, como fez quando exerceu os seus três mandatos.

Pouca gente sabe, mas Carlos Batata foi o primeiro a defender a construção da Barragem de Cajueiro, quando era deputado federal, projeto que depois foi concretizado pelo então governador Eduardo Campos.


Para governador de Pernambuco, em 2018,  tudo indica que o democrata estará junto do senador Armando Monteiro (PTB), que lidera o palanque de muitas lideranças insatisfeitas com o governo de Paulo Câmara.

MARÍLIA VAI PARTICIPAR DE ENCONTRO EM SURUBIM

Marília Arraes, pré-candidata do PT ao Governo de Pernambuco, participará de uma plenária com lideranças do Agreste do Estado no próximo dia três de março, no município de Surubim.

Petistas e simpatizantes da vereadora estão se mobilizando para que o encontro seja tão representativo quanto o de Serra Talhada, que foi organizado pelo prefeito Luciano Duque.

Do Agreste Meridional estão sendo organizadas caravanas com militantes de Brejão, Saloá, Caetés, Paranatama, Capoeiras, Bom Conselho, Terezinha, Angelim e outras cidades.

Embora as grandes lideranças estaduais e nacionais do PT ainda não tenham dado uma definição da candidatura de Marília, os que defendem o nome da neta de Miguel Arraes acreditam que seu nome vai terminar se impondo, por conta forte apoio das bases, da juventude e da população em geral de Pernambuco, que está ansiosa por mudanças.

Nas últimas pesquisas realizadas no Estado a vereadora apareceu bem, praticamente empatada tecnicamente com o governador Paulo Câmara e o senador Armando Monteiro.


Alguns participantes do grupo Lideranças do Agreste, que se mobilizam pelo WhatsApp, estão tão otimistas que acreditam que daqui para abril, quando haverá uma definição do quadro de candidatura, Marília já poderá estar à frente das pesquisas.

*Foto reproduzida do Blog de Wellington Freitas.

GARANHUNS E A ESPINGARDA EM 1917


Por José Fernandes Costa – jfc.costa15@gmail.com

No dia 3 deste mês, li no Blogue de Roberto Almeida, breve crônica sobre a tragédia que ocorreu em Garanhuns, no ano de 1917. A alguém pode parecer estranho que o juiz Abreu e Lima e o tenente Meira Lima, em vez de contribuírem pra evitar o mal maior, tenham colaborado fortemente com aquela matança.

Para mim, isso não constitui estranheza. Passei meus primeiros anos de vida na divisa de Alagoas e Pernambuco. Do lado de cá, Bom Conselho; do lado de lá, Palmeira dos Índios. Sempre acompanhei a história do banditismo dos “coronéis” nesses dois estados da federação.

Naquela ocasião (3.2.2018), eu fiz um comentário pela tangente. De propósito, desviei o assunto para o tiroteio da Assembleia Legislativa de Alagoas, ocorrido em 1957, o que não tem nada a ver com a carnificina feita em Garanhuns.  

Voltemos ao que parece estranho, mas não é: como pode o juiz de direito e o responsável pela segurança pública do município, endossarem o plano macabro dos bandidos matadores?! Estes, usando ardis calculados, trancafiaram seus adversários na cadeia pública da cidade.  E, a seguir, invadiram aquele presídio e trucidaram cerca de 20 pessoas, incluindo policiais que cumpriam suas obrigações. – Antes, porém, os tais bandidos trataram de retirar os armamentos que poderiam ser usados por policiais que, no cumprimento do dever legal, tentariam evitar a matança impiedosa.

A análise pode não ser simples, mas temos de partir de certa lógica. – Houve um “coronel” assassinado por um capitão que havia sido surrado na via pública. O capitão fora surrado, para que o povo de Garanhuns e adjacências ficasse sabendo que a família do “coronel” era valente. E que ali quem mandava, desmandava, casava e batizava era a família do dito “coronel”.

Não dá para descrever a imensa humilhação sofrida pelo capitão Sales Vila Nova. Foi desmoralizado para todo mundo ver e saber. Com que cara o capitão Sales iria se apresentar aos seus familiares? Como chegar e olhar de frente para quaisquer pessoas, de sua família ou não? – Assim, só restou ao capitão Sales Vila Nova matar o “coronel” da família dos tranca-ruas. – Sales já havia avisado que, se fosse surrado, mataria o “coronel”. – Havia alguma dúvida para os parentes do “coronel” de que fora o capitão Sales que cometera o assassinato em Recife, por sua conta e risco? – Se dúvida havia, é porque a ignorância da família “valente” era tanta que deixou todos mais cegos do que já eram. 

Com aquela morte em Recife, houve a primeira viúva. E esta tinha ódio e maldade dentro do peito pra distribuir com quem ela quisesse. – Então, a primeira viúva ordenou aos seus parentes que reunissem os pistoleiros da região e viessem pra Garanhuns. E tomassem conta da cidade, criminosamente. Cerca de 100 bandidos armados até os dentes passaram a agredir pessoas que não fossem do agrado deles! – E, a partir de então, foi gestado o plano macabro, dentro da casa da primeira viúva. – Doravante, essa viúva será chamada só pela alcunha de primeira viúva.

Naquele complô, na casa da primeira viúva estavam o juiz e o tenente (este também delegado de polícia); ambos deveriam servir ao povo de Garanhuns. Porém, ao não fazê-lo, nada disso causa estranheza. É e sempre foi comum nas cidades onde imperam os currais eleitorais, as “autoridades” tomarem partido, por mera simpatia com certos chefetes políticos. – Então, naquele momento, foram postas as cartas na mesa. Tendo em vista o ambiente de guerra declarada, o juiz e o tenente se engajaram de corpo e alma no plano mortal da família da primeira viúva.

Assim, o plano deu os resultados que a primeira viúva e seus apaniguados quiseram. Depois de executados os homens odiados pela primeira viúva, esta fez a comemoração na sua residência, com bebedeiras, risos e alegria esfuziante, segundo foi noticiado.  – Tanto ódio, tanta frieza, tanta insensibilidade, talvez tenha sido isso que fez a primeira viúva viver quase 100 anos.

A pergunta que fica no ar é: por que a primeira viúva não foi condenada, já que tudo ocorreu por ordem dela, dentro de sua casa?! Se ela foi a julgamento, como não ser condenada?! Isso é muito mais estranho do que a participação das “autoridades” na chacina. – Já a absolvição de Sales Vila Nova encontrou amparo legal, a meu ver. Visto que o Código Penal prevê “os crimes contra a  honra”. E entre estes está:

“Se a injúria consiste em violência ou via de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, consideram-se aviltantes as ofensas.” (CP: art. 140, § 2º.)

O Código Penal de 1941 estabelece esse crime. É óbvio que, com muito mais razão, os códigos vigentes em 1917 também estipulavam tal crime. – E por ter sido surrado, o capitão Sales Vila Nova foi atingido em sua honra; tendo sido humilhado de maneira aviltante. Daí, sua absolvição!

2. Pessoas alimentadas pelo mal, juntam-se aos maus e se deleitam com a prática da desgraça. – Para os agentes do mal, nada melhor para eles do que uma carnificina em letras garrafais. Foi o que ocorreu em Garanhuns, naquele 15 da janeiro de 1917. – Ademais, os bandidos valentões agrediram mulheres: as filhas e a esposa de Manoel Jardim. Isso foi covardia imperdoável.

Li, em algumas publicações, que o “coronel” assassinado “iria despontar como ‘liderança”’ da região do Agreste. – Quem entende alguma coisa de recursos humanos sabe o que é ser líder e exercer liderança. Ninguém é líder com um chicote na mão, para açoitar os seus “liderados”. – Com um relho na mão, o sujeito só pode ser algoz periculoso. Será só chefe de bandos e quadrilhas. Jamais será líder de uma comunidade.

Ser líder requer capacidade pra liderar; e é necessário que haja aceitação das suas opiniões por parte dos liderados. Opiniões não são ordens! – Essas condições faltam a quem usa o porrete e a espingarda pra resolver conflitos. Que não se confunda capitão do mato com líder. A diferença é tão grande, como gritante foi a estupidez dos que mataram, covardemente, mais de 20 pessoas. A tremenda estupidez deu lugar ao massacre sangrento, coisa que o povo de Garanhuns nunca mereceu.

Antes de ser morto, o “coronel”, disfarçado de “fidalgo”, já acumulava nos ombros, alguns crimes: lesão corporal dolosa contra o capitão Sales Vila Nova (coautoria); grave ameaça ao capitão Vila Nova; e injúria aviltante imposta ao próprio capitão, conforme destacado mais acima. – Todos esses crimes estão no nosso Código Penal. – Eis as sobejas razões que Sales Vila Nova teve pra matar o “coronel” dos valentões, em lugar público na capital do Estado. – Essa é minha opinião, ainda que alguém discorde.
E nem tento entender por que o juiz de direito e o chefe de polícia de Garanhuns passaram a cumprir as ordens da primeira viúva e dos seus asseclas, em vez de cumprirem as leis vigentes. – Isso é tão vulgar que se torna irrelevante, para mim. – É ISSO! /.

*Na foto histórica do Diário de Pernambuco, algumas viúvas e órfãos da Hecatombe de Garanhuns.

PAVEL É CANDIDATO DO PC À PRESIDÊNCIA DA RÚSSIA


Dirigente do kolkhoze Lenine, 
líder da agricultura biológica

por Guillaume Suing*
O movimento comunista russo revive o seu legado pré-kruscheviano da agroecologia ao lançar um agrônomo, filho de camponeses e dirigente do célebre e ultramoderno Sovkhoze Lenine nos subúrbios de Moscou, ponta de lança da agricultura biológica russa.
O Congresso do Partido Comunista da Federação Russa (PCFR) acaba de designá-lo candidato às próximas eleições presidenciais, mas muitos talvez já o conhecessem como kolkhoziano líder da famosa herdade coletiva Lenine nos arredores de Moscou, uma “uma ilha de socialismo no meio da selva capitalista”, como ele diz do seu trabalho.
Pavel Groudinine é também Vice-Presidente da Comissão de Agricultura da Câmara de Comércio e Indústria Russa, promovendo a agricultura biológica, cujos benefícios são conhecidos desde sempre em Moscou pelos adeptos do famoso Sovkhoze Lenine: aí se colhem morangos e muitas outras frutas sazonais e legumes; são vendidos produtos lácteos através dos agora designados “circuitos curtos”, garantia de frescura e de respeito pelo meio ambiente.
Paradoxalmente, esta herdade coletiva, antes um sovkhoz (herdade do Estado) tornada à força uma cooperativa, um kolkhoz gigante, após o fim da União Soviética, continua a ser hoje a maior herdade da Rússia e mantém, como muitos outras herdades onde os trabalhadores recusaram a privatização ou a venda a promotores imobiliários sedentos de lucro fácil, mantendo as técnicas agora centenárias do trabalho coletivo, coletivização dos meios de produção, reinvestimento total na produção, partilha equitativa das receitas, divisão de trabalho, permitindo aos agricultores tirar férias e aos filhos irem à escola.
É sem dúvida uma dimensão ignorada do público em geral no Ocidente: muitos kolkhozes e sovkhozes soviéticos mantiveram-se relutantes em relação à agricultura intensiva, conduzida por Kruschev e desenvolveram o modelo “sem pesticidas e fertilizantes químicos” até a estes anos, prova de que se pode conciliar agroecologia e grandes produções para além do modelo “familiar” promovido pelas teorias “ecossocialistas”. Como testemunha um outro exemplo de agricultura biológica na herdade coletiva ucraniana em Stavkovie, filmado por Coline Serreau no seu documentário de 2010 “Solutions locales pour un désordre global” (ver vídeo com extrato do filme).

A candidatura de Pavel Groudinine, votada por unanimidade em 23 de dezembro, sucedendo à do camarada Guennadi Ziouganov (73 anos), tem para nós, “ocidentais”, dois significados importantes:
– A agricultura biológica desenvolve-se na Rússia de forma fulgurante, especialmente desde o embargo ocidental de produtos agrícolas em 2014, forçando o país a desenvolver suas produções locais. Sinal de que a agroecologia é indissociável de uma política de independência e autossuficiência nacional.
– A candidatura do PCFR de um kolkhoziano líder do biológico é uma maneira de o movimento comunista russo voltar a ligar-se à sua história profunda e soviética. De fato, foi na União Soviética que foram inventados os primeiros conceitos ecologistas (nomeadamente a noção de Biosfera do célebre Vernadsky) e a ciência dos solos – tão ricos no imenso território da União Soviética – viu a luz do dia, (Dokoutchaiev, Williams foram os primeiros protagonistas). Os primeiros e principais planos de agroecologia (o famoso “grande plano de transformação da natureza” de 1948), o desenvolvimento de tecnologias contrárias ao uso de pesticidas e fertilizantes químicos, foram a base da agricultura soviética coletivizada até ao período de Kruschev, início do seu declínio, alinhando com o modelo intensivo americano (ver brochura do Cercle Barbusse intitulée L’Ecologie à la lumière du marxisme léninisme ).


É este legado “ecologista” do comunismo russo que explica o grande êxito da agricultura biológica na Rússia de hoje, simultaneamente com uma preocupação pelo respeito do ambiente, marcado por exemplo pela multiplicação de zapovedniki no território, grandes reservas naturais interditas aos seres humanos (fora alguns cientistas) criadas por decreto em 1921, e que continuaram a desenvolver-se na URSS (com uma queda pontual significativa durante a era de Khrushchev, vinculado ao alinhamento na monocultura intensiva americana chamada “produtivista” (Ver La première opposition à l’agriculture intensive court-termiste était soviétique de Guillaume Suing) .

O modelo de grandes kolkhozes biológicos e coletivistas desafia a falsa contradição que alguns ambientalistas ocidentais postulam entre o respeito para com o ambiente, a saúde humana e a produtividade agrícola. É necessário com efeito garantir uma certa quantidade de produtos agrícolas, para assegurar a autossuficiência, ao mesmo tempo respeitando os solos para garantir essa autossuficiência a longo prazo (em grandes culturas a colheita mecanizada poderia consumir energias renováveis em vez de combustíveis fósseis).
É visivelmente o caso na Rússia pós-Ieltsin: o peso do legado coletivista retardou a dissolução dos kolkhozes russos, tanto os agricultores viam as suas vantagens. Este é também o caso da agricultura socialista cubana, hoje líder em matéria de agroecologia, devido à sua estrutura fundamentalmente socialista, com um Estado que é capaz de banir pesticidas e dar às massas camponesas os meios para garantir o êxito destas produções, que implicam custos de formação agronômica e técnica (ao contrário da agricultura intensiva muito passiva).

É igualmente o caso hoje em França nos pequenos coletivos de jovens agricultores que se lançam em projetos de herdades coletivas biológicas onde a partilha de tarefas e a coletivização dos meios de produção lhes permite ter tempo para uma vida pessoal, férias, etc (ver um trecho de vídeo da emissão de France 5 Le champ des possibles relativa a uma dessas experiências).
O kolkhoz gigante de Pavel Groudinine é provavelmente um exemplo disto, com as suas instalações muito “soviéticas” para facilitar as condições de trabalho do coletivo dos agricultores que lá vivem.
Como um trabalhador relatou ao L´Humanité : “Nós usamos o sistema capitalista para criar nossa parcela de comunismo. E se atrai tantas pessoas é que porque este sonho tem futuro. Espero que a Rússia possa inspirar-se no nosso Sovkhoz (…). O facto de termos bons salários e um estilo de vida não desprezável tranquilizam e ajudam na intenção de fundar uma família.”

De fato, a herdade coletiva Lenine, com os enormes reinvestimentos que gera uma empresa que não especula sobre seus lucros, integralmente redistribuídos, é quase um microestado no Estado, que se desenvolve e isto apesar de um apoio quase inexistente quando comparado com os enormes subsídios que Bruxelas dá para às herdades de produção intensiva para tentar esmagar o mercado mundial. [Para mais informações sobre o Sovkhoz Lenin, consultar o artigo Un petit coin d’URSS dans la banlieue de Moscou .

Pavel Groudinine explica no mesmo jornal: “Tudo é reinvestido. Foi assim que pudemos melhorar a produção, proporcionar bons salários, garantir a segurança no emprego, permitir que as famílias tenham as suas casas, um jardim-de-infância, uma escola. Este é o estilo de vida que permitimos aos nossos 320 trabalhadores. No regresso às aulas vamos inaugurar uma nova escola, capaz de acomodar 180 crianças”. Centro cultural, complexo, desportivo, parque, piscina, clínica, áreas de desportos, imóveis: tudo é ultramoderno nesta imensa herdade, onde a colheita de morangos se tornou quase uma instituição para os que gostam de fruta fresca em Moscovo.
Já é tempo que o movimento ecologista dos nossos países perceba que a agricultura intensiva “produtivista” não é intrínseca ao comunismo, cuja experiência no campo ecologista foi pioneira de 1917 aos nossos dias na Rússia (é verdade com os primeiros desvios kruschevianos e os recuos que lhe estão associados), mas também evidente em Cuba hoje por razões semelhantes, uma vez que o legado “produtivista” kruscheviano foi liquidado na década de 1990.
A candidatura de Pavel Groudinine é um sinal concreto que mostra, se ainda for necessário, a mais evidente unidade estratégica entre o movimento social operário e o movimento ecologista “verde” contra o capitalismo selvagem e destrutivo cujos malefícios são hoje indiscutíveis.
Algumas fotos do Sovkhoz Lenine dirigido por Pavel Grounidine, que produz frutas e legumes biológicos segundo o modelo “soviético”, com edifícios deslumbrantemente novos, o seu estádio, o jardim-de-infância, suas infraestruturas inteiramente financiadas a partir do rendimento da produção agrícola para benefício direto de seus trabalhadores.
*Professor agregado de Ciências da Vida e da Terra, autor de Evolution: La preuve par Marx (2016), “L’Ecologie réelle, une expérience soviétique et cubaine” (2018), ed. Delga .
O original encontra-se em germinallejournal.jimdo.com/…. Traduçãode DVC.
Este artigo encontra-se em http://resistir.info/russia/groudinine_presidenciais.html
APOIO: PCB (PARTIDO COMUNISTA BRASILEIRO) DE GARANHUNS/PE
LEMBRANDO QUE, ATUALMENTE,  OS  COMUNISTAS DO PCFR REPRESENTAM A SEGUNDA FORÇA POLÍTICA NA RÚSSIA.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

SÁBADO DE GRAVES ACIDENTES NA REGIÃO

Por Junior Almeida

Não é nossa linha editorial as notícias policiais, pois já existem blogs companheiros de Garanhuns e região que brilhantemente já abordam o tema, mas vez por outra, devido a repercussão de alguns acontecimentos, usamos nosso espaço virtual para esse tipo de notícia. Vejamos: existe um adágio popular que diz que quando muita coisa ruim acontece é por que a bruxa está solta. O sábado 17 de fevereiro parece ter sido um dia desses em nossa região.


Logo pela manhã, na cidade de Capoeiras, sete trabalhadores embarcaram em um Ford Cargo carregado de ração animal para fazer entregas na região de Venturosa. No meio da Serra do Tará, próximo à entrada da fazenda do ex-prefeito de Caetés, Rafael Brasil, o motorista do caminhão perdeu o controle da direção, saiu da pista e virou. O veículo ficou totalmente destruído, falecendo no local Cícero França de Oliveira de 43 anos e Weslly de Oliveira Silva, de apenas 17, sendo os feridos socorridos pelo Samu.

Na parte da tarde outro acidente ceifou a vida de mais duas pessoas. O comerciante Veranildo da Silva Gomes, conhecido por Lola, de 34 anos, residente em Caetés, dirigia sua Saveiro Cross pela BR 424 quando nas proximidades da fábrica de bolachas Skin colidiu com um ônibus da Prefeitura de Caetés. O impacto foi tão violento que jogou o coletivo fora da pista, fazendo com que esse atropelasse quatro pessoas que caminhavam às margens da estrada. A adolescente Thaís Cleonice da Silva, de 15 anos, foi uma das vítimas, falecendo no local do acidente. O motorista da Saveiro depois de ter sido tirado das ferragens foi socorrido, mas faleceu ao dar entrada no hospital.

O triste detalhe deste segundo acidente foi o fato do pai da menina Thaís, que era estudante da EREM Luiz Pereira Junior, em Caetés, ficar o tempo inteiro ao lado do corpo da filha, preso embaixo do ônibus. Não teve quem visse a cena sem se emocionar com o desespero do aflito pai de família.


Nós que fazemos este blog, pedimos a Deus que receba as vítimas em sua Morada e que conforte as famílias dos mortos.

Fotos: 1- caminhão do acidente na Serra do Tará sendo recolhido pelo guincho; 2- mesmo veículo ainda tombado; 3- pai da jovem Thaís, ao lado do corpo da filha, sendo consolado pelas pessoas.

DEMORA NO ATENDIMENTO DO SAMU CAUSA REVOLTA

O garanhuense Marcos Ferreira considera lamentável um fato ocorrido ontem à tarde no centro de Garanhuns.

Uma  mulher atropelada e esperou cerca de uma hora,  debaixo de chuva, pelo socorro do SAMU.

“Após várias ligações para central , populares que estavam no local cobriram a jovem com plásticos e papelões,  para amenizar a chuva. A população pergunta porque tanta demora para uma viatura do SAMU chegar para prestar um serviço de emergência? Até quando vamos depender de Caruaru, na regulamentação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência?”, questionou Marcos.


A cena lamentável foi registrada em vídeo. Confira:


PREFEITO NOGUEIRA CONVOCA APROVADOS NO CONCURSO

A Prefeitura Municipal de Calçado, através do Prefeito Francisco Expedito da Paz Nogueira, vem tornar a público a convocação dos candidatos do Concurso Público para o provimento de cargos efetivos, pelo edital 01/2017 datado e republicado em 28 de agosto de 2017.

Os candidatos convocados deverão comparecer à sede da Secretaria de Administração e Planejamento, situada à Rua João Alexandre da Silva, 84, Centro, Calçado-PE, no prédio da Prefeitura Municipal de Calçado-PE, a partir do dia 19 de fevereiro de 2018 até o dia 21 de fevereiro de 2018, no horário das 8:00 às 12:00 e das 14:00 até às 17:00 horas, munidos de todos os documentos exigidos no Edital 01/2017, especificados no capítulo VII.

Com a realização deste concurso público, o prefeito Nogueira (PP), corrige uma situação anterior, quando uma seleção pública organizada pela município teve de ser anulada.

Clique no link abaixo com os nomes dos aprovados no Concurso Público realizado em Calçado pela atual gestão:




*Na foto Nogueira em seu gabinete, com assessores, secretário e o prefeito de Jupi, Marcos Patriota.

SÃO JOÃO REGISTRA OITO ASSALTO EM DOIS DIAS

De um morador de São João, aflito,  por conta da insegurança que toma conta do município, na cidade e zona rural:

Caro Roberto,

O governador de Pernambuco, na segurança, não tem jeito. Um exemplo disso é que em São João ocorreram oito, isso mesmo, oito assaltos na cidade e zona rural, por uma dupla de motoqueiros.

Na quarta três assaltos e na quinta-feira mais dois assaltos, tendo sid roubados celulares e uma R$ 4.500,00 (quatro mil e 500 reais) de um cidadão que tirou um empréstimo no banco e ia de moto táxi para o sítio.


O pior Roberto é que o comando geral da PM, mesmo sabendo dos índices de violência no interior, mandou toda tropa recém formada, para o carnaval do Recife, mostrando uma preocupação com os holofotes da capital pernambucana. Por último, a grande maioria dos assaltados, não foram prestar queixa pois acham que não serve de nada. Agradeço se não citar o meu nome, pois sou funcionário público e temo perseguições das ditas autoridades. Um abraço.

*Foto: TV Replay